Ascite

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 33 (8159 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de agosto de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
1. CASO CLÍNICO

Identificação: JCS, 62 anos, sexo masculino, casado, natural e residente em São Sebastião da Bela Vista, professor aposentado
Paciente portador de cirrose alcoólica há 15 anos, etilista desde os 30 anos de idade (uso de aguardente, não citado a quantidade na anamnese), parou há 1 ano. Relata diversas intercorrências durante esse período: varizes esofágicas, hipertensão portal,hemorragias digestivas episódicas, aumento da pressão abdominal e ascite. Em seguimento clínico, fazendo uso de Furosemida 40mg/3x/dia, Aldactone 100mg/2x/dia, Propranolol 40mg/1x/dia. Em exames de rotina realizados em internação devido à descompensação cirrótica, foi diagnosticado com hepatite C há 3 anos, tendo por isso procurado o ambulatório de Infectologia do HCSL em setembro de 2010, deonde foi encaminhado ao ambulatório de Hepatologia.
HPP: varizes esofágicas há 20 anos, cirrose alcoólica há 15 anos, crises convulsivas em uso de fenobarbital, diversas internações devido à varizes e à cirrose, diversas transfusões sanguíneas devido às hemorragias desde 1997.
HF: pais falecidos (não soube relatar causa), 3 irmãos saudáveis, 2 filhos saudáveis e esposa também saudável.
HFis: nãosoube informar.
HVacinal: não tem cartão de vacinal, não soube relatar mais nada.
HSocial: alcoolismo por 31 anos, tabagista há 50 anos (1 a 2 maços/dia), alimentação precária.

Exame Físico em 20 de Junho 2011.
Paciente em regular estado geral, sem queixas no momento. Hidratado, hipocorado, anictérico, acianótico, orientado.
ACV: Rítmo regular em 2 tempos, bulhas normofonéticas.
AR:murmúrio vesicular fisiológico, sem ruídos adventícios.
Abdôme: globoso, ascite volumosa, Sinal do Piparote positivo.
MMII: edema, dermatite ocre.
Solicitado exames de rotina, cujos resultados estão descritos abaixo
Devido à volumosa ascite foi agendado Paracentese abdominal para dia 27 de junho.


Exames laboratoriais de 27/06/2011

Hemograma completo:
Hemácias – 3,7 milh/mm³
Hemoglobina –6,2 g/dl
Hematócrito – 23,9%
Leucócitos totais – 2,8 mil/mm³
Plaquetas – 157.000/mm³

ALT – 10,2 U/L
AST – 14,9 U/L
Bilirrubina total – 0,5 mg/dl
Bilirrubina direta – 0,23 mg/dl
Bilirrubina indireta – 0,27 mg/dl
Fosfatase Alcalina – 103,2 U/L
Proteínas totais – 8,2 g/dl
Albumina – 3,8 g/dl
Globulinas – 4,4 g/dl

Uréia – 25,4 mg/dl
Creatinina – 1,2 mg/dl
Ácido úrico: 4,5 mg/dlGlicose – 89 mg/dl
Colesterol total – 75,2 mg/dL
HDL – 52,6 mg/dL
LDL – 16,0 mg/dL
VLDL – 6,6 mg/dL
Triglicérides - 33

Na+ - 140 mg/dL
K+ - 3,7 mg/dL
Ca+ - 8,8 mg/dL
Mg+ - 2,8 mg/dL
α fetoproteína: 3,21 ng/dL
T4 livre – 1,15 mg/100 ml
TSH – 3,92 mUI/ml
Anti HAV (IgG) – Não reagente
Anti HCV – positivo
HBsAg – negativo
Anti HBs – negativo
Anti HBc (IgG) – negativo
Anti HBc(IgM) – negativo

EDA de 1997
Conclusão
1 – Varizes esofagianas de médio calibre
2 – Erosão isolada no meio da incisura
3 – Deformidade bulbar com vários pseudo-divertículos

Consulta em 27 de junho de 2011.

Foi realizada paracentese abdominal. Retirou-se 45ml de líquido ascítico: 15ml para análise bioquímica, 15ml para hemocultura, 15ml para pesquisa oncológica.
Estes resultados serãoposteriormente analisados em nova consulta.
É importante realizar paracentese diagnóstica em todos os pacientes com ascite, para confirmar sua etiologia, descartar comorbidades e afastar presença de peritonite bacteriana espontânea

2. INTRODUÇÃO

O termo ascite tem origem na palavra grega “askos” que significa saco ou conteúdo de um saco. Deste radical derivou “askites” e depois “ascite”.Ascite é o acúmulo de líquido livre, de origem patológica na cavidade peritoneal. O líquido que se acumula na cavidade peritoneal pode ter diversas origens, como plasma, bile, sangue, suco pancreático, líquido intestinal, linfa, urina, etc. (ANDRADE JUNIOR et al, 2009). Mas, no contexto de doença do fígado com hipertensão portal, caso da cirrose, a ascite é o extravasamento do plasma sanguíneo...
tracking img