Protocolo para coleta, isolamento, cultivo e identificação de microalgas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1450 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de agosto de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Protocolo para coleta, isolamento, cultivo e identificação de microalgas

1. Preliminares

Antes de programar qualquer coleta torna-se necessário preparar todo o material para as várias etapas do cultivo.

✓ Reservar microscópio a ser utilizado para o isolamento, de preferência invertido e também microscópio qualitativo com sistema de captura de imagens para registro de populaçãonatural.

✓ Preparar capilares utilizando pipetas Pasteur, afunilando a ponta com o auxílio do bico de Bunsen.

✓ Autoclavar todo o material (pipetas, capilares, lâminas escavadas, vidro de relógio, tubos de ensaio, béquer, placas de petri), além do meio a ser utilizado, que deverá ser de acordo com o ambiente de coleta (marinho ou dulciaquícola).

2. Em campo

Paraqualquer ambiente deverá ser obtido dados de temperatura (termômetro de campo), salinidade (refratômetro ) e pH (pHmêtro de campo). Caso o refratômetro e pHmêtro não estejam disponíveis para o trabalho de campo, reservar um frasco com fechamento hermético, coletar uma fração da água local completando até a borda do frasco e imediatamente fechá-lo para evitar a evaporação e conseqüente alteração no teorde salinidade/pH;

a) ambiente marinho

Material necessário: rede de fitoplâncton com malha de 20 µm e frascos escuros de 250/500 mL.

✓ Efetuar arrasto horizontal com a rede de fitoplâncton por aproximadamente 3 minutos, quando então a amostra colhida deverá ser acondicionada no recipiente reservado, que deverá antes ser rinsado com água do local de coleta.✓ Verificar a temperatura da água. Para a salinidade e pH, efetuar leitura no local ou coletar amostra para posterior análise no laboratório.

Considerando que a coleta será feita sem utilização de embarcação, verificar a tábua de maré para efetuar a coleta em maré vazante, pois com a maré cheia as condições para o arrasto na beira da praia se tornam desgastantes;

b)ambiente de águas continentais

Considerando a dificuldade de se fazer o arrasto em lagos/lagoas com rede completa de fitoplâncton, o sistema de coleta a ser utilizado foi adaptado utilizando tubo de PVC, no qual malhas de 20 µm e 100 µm são acopladas para um processo de filtração contínua.

A utilização da malha de 100 µm retém o zooplâncton de maior porte, evitando dessa formauma maior predação do fitoplâncton até que a amostra seja analisada. Assim, são selecionados organismos situados na faixa de tamanho entre 20 e 100 µm. Como o processo de coleta é contínuo, ocorre a colmatação, o que faz com que organismos inferiores a 20 µm fiquem retidos na malha, favorecendo a coleta de organismos classificados na faixa do nanoplancton (2-20 µm), gerando uma maior abrangênciapara o material coletado.

Material necessário: sistema de coleta adaptado, balde de 5/10L para coleta com corda e frascos de 250/500 mL.

O sistema de coleta adaptado deverá posicionado às margens do local de coleta. Efetuar a coleta sucessiva até a colmatação na malha de 20 µm, armazenando em frascos escuros de 250/500 mL (rinsar com água local);

As amostras devemser transferidas imediatamente para o Laboratório para iniciar o processo de isolamento e captura de imagens.

3. Em Laboratório

Em caso de não ter sido obtida a salinidade/pH no local de coleta, efetuar imediatamente a medição.

Da escolha do meio de acordo com o ambiente de coleta:

✓ Para o ambiente marinho utilizar o meio Guillard (F2), acrescentando sílicatoquando a espécie a ser cultivada for do grupo das diatomáceas ou que apresentem a sílica em seus constituintes, tais como os silicoflagelados.

✓ Na fase inicial do isolamento utilizar meio de cultivo diluído, testando a concentração em cada cepa isolada.

OBS.: Para o ambiente de águas continentais o meio comumente utilizado pelo Laboratório é o LC-Oligo ou meio CHU-13 mod., dependendo...
tracking img