Artigo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 44 (10887 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
ARTIGO ESPECIAL

6

Eduardo Ériko Tenório de França,
Francimar Ferrari, Patrícia
Fernandes, Renata Cavalcanti,
Antonio Duarte, Bruno Prata
Martinez, Esperidião Elias Aquim,
Marta Cristina Paulete Damasceno

Recomendações elaboradas pelo
Departamento de Fisioterapia da
Associação de Medicina Intensiva
Brasileira (AMIB).

Fisioterapia em pacientes críticos adultos:
recomendações doDepartamento de Fisioterapia da
Associação de Medicina Intensiva Brasileira
Physical therapy in critically ill adult patients: recommendations
from the Brazilian Association of Intensive Care Medicine
Department of Physical Therapy
RESUMO
A incidência de complicações decorrentes dos efeitos deletérios da imobilidade na unidade de terapia intensiva
contribui para o declínio funcional,aumento dos custos assistenciais, redução
da qualidade de vida e mortalidade pós-alta. A fisioterapia é uma ciência capaz
de promover a recuperação e preservação
da funcionalidade, podendo minimizar
estas complicações. Para nortear as condutas fisioterapêuticas nas unidades de
terapia intensiva, um grupo de especialistas reunidos pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB), desenvolveurecomendações mínimas apli-

cáveis à realidade brasileira. Prevenção
e tratamento de atelectasias, condições
respiratórias relacionadas à remoção de
secreção e condições relacionadas a falta de condicionamento físico e declínio
funcional foram as três áreas discutidas.
Além destas recomendações específicas,
outro aspecto importante foi a consideração de que a prescrição e execução
deatividades, mobilizações e exercícios
físicos são do domínio específico do fisioterapeuta e o seu diagnóstico deve
preceder qualquer intervenção.
D escritores: E stado terminal/
reabilitação; Cuidados críticos;
Comportamento cooperativo

INTRODUÇÃO

Conflitos de interesse: Nenhum.
Final de elaboração: Agosto de 2011.
Revisado em: Fevereiro de 2012.
Autor correspondente:
Marta CristinaPauleti Damasceno
Rua Assungui, 310 - Vila Gumercindo
CEP: 04131-000 – São Paulo (SP),
Brasil
E-mail: martacpdamasceno@hotmail.com

A sobrevida dos pacientes criticamente enfermos tem aumentado em consequência da evolução tecnológica, científica e da interação multidisciplinar. Contudo, a
incidência de complicações decorrentes dos efeitos deletérios da imobilidade na unidade de terapiaintensiva (UTI), contribui para o declínio funcional, aumento dos
custos assistenciais, redução da qualidade de vida e sobrevida pós-alta. Objetivando
atender a esta nova demanda inserida em sua responsabilidade social, as UTIs do
Brasil e do mundo, buscam novas alternativas na resolução destes desafios. A fisioterapia, ciência capaz de promover a recuperação e preservação da funcionalidade,através do movimento humano e suas variáveis, enquadra-se com destaque nesta
nova perspectiva assistencial e de gestão na equipe multiprofissional.(1-6)
A proposta de elaboração de um instrumento norteador das ações da fisioterapia
na UTI traz, em sua essência, intervenções exclusivamente diagnosticadas, prescritas
e realizadas pelo fisioterapeuta, com a preocupação de refletir a realidade nacional,não sendo propósito do mesmo discorrer sob intervenções comumente praticadas
nas UTIs de forma compartilhada com a equipe multiprofissional, a exemplo da
ventilação mecânica ou procedimentos correlatos.
Recomendações, muitas vezes, geram resistência por parte de alguns colegas porque prevêem mudanças de comportamento, que teoricamente poderiam cercear a au-

Rev Bras Ter Intensiva. 2012;24(1):6-22

Recomendações de fisioterapia em pacientes críticos adultos

tonomia. Entretanto, devem ser encaradas como instrumento de auxílio nas decisões, podendo sofrer alterações advindas
da experiência adquirida na aplicação da prática diária.(7)
Em resumo, as recomendações devem proporcionar uma
melhoria real no atendimento ao paciente, auxiliando nas decisões, contemplando a...
tracking img