Artigo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1080 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ARTIGO
AUTORAS:
BRUNA MARIA DOS SANTOS
CRISTIANA MARIA DA SILVA
DENILDA MACENA BARROS
KRYSNEYKE NYKELLYNE DA COSTA

GRADUANDAS EM LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA

-------------------------------------------------
VIOLÊNCIA INTRAFAMILIAR NO ÂMBITO ESCOLAR

-------------------------------------------------
RESUMO:
-------------------------------------------------
No âmbito escolartemos vivenciado vários tipos de dificuldades na aprendizagem, entre esses vários fatores estão à violência intrafamiliar. “A prevenção primária é maneira mais econômica, eficaz e abrangente para se evitar a violência contra crianças. Através da prevenção primária atua-se para modificar condutas e formar novas culturas, sensibilizando e mobilizando a sociedade.” (Abrapia, 2002). O que podemos, comoeducadores e facilitadores, prevenir a violência que atinge as crianças? O que podemos oferecer às famílias para reduzir e prevenir a violência antes que ela aconteça?
A
violência intrafamiliar é um problema social de grande dimensão que afeta toda a sociedade, atingindo, de forma continuada, especialmente mulheres, crianças, adolescentes, idosos e portadores de deficiência. A violência podegerar problemas sociais, emocionais, psicológicos e cognitivos durante toda a vida, podendo apresentar também comportamentos prejudiciais à saúde. Em geral, se manifesta por meio do abuso de substâncias psicoativas, do álcool e outras drogas e da iniciação, precoce à atividade sexual, tornando-os mais vulneráveis à gravidez, à exploração sexual e à prostituição.
Os problemas de saúde mental esocial relacionados com a violência em crianças e adolescentes podem gerar consequências como ansiedade, transtornos depressivos, alucinações, baixo desempenho na escola e nas tarefas de casa, alterações de memória, comportamento agressivo, violento e até tentativas de suicídio.
Conversando com crianças e adolescentes orientando-os sobre os riscos da violência no cotidiano e suas formas de prevenção,adotando posturas proativas frente a qualquer situação de violência e debatendo o assunto nas escolas, comunidades, família, serviços de saúde, entre outros setores da sociedade. A família desempenha papel fundamental não só na relação com seus membros, mas também na relação com o Estado, na perspectiva de instituição social decisiva ao desenvolvimento do processo de integração/inclusão social deseus membros.
A relação familiar esta se tornando mais frágil e superficial, onde esta se transferindo a responsabilidade dos pais, para a escola, professores, babás e outros, criando-se um ambiente hostil, onde as pessoas pouco se conhecem, algumas apenas dividem um espaço físico. “Quem se perdeu não foi o jovem, foi o adulto que não está conseguindo ler a modernidade e a confunde com frieza,distanciamento, solidão, perdas”. Boechat (2003).
A escola deve compreender que a família mudou e é com essa família que precisa interagir, ocupando seu espaço de formação/preparação das novas gerações, Rótulos como “famílias desestruturadas” não trazem qualquer benefício, seja ao aluno, seja à escola.
Não existe uma família ideal ou um modelo pré-determinado de família, existem famílias reais,independente de sua configuração, a família continua sendo a instituição social responsável pelos cuidados, proteção, afeto e educação das crianças pequenas, ou seja, é o primeiro e importante canal de iniciação dos afetos, da socialização, das relações de aprendizagem.
Diante desta colocação, apresentamos a seguir um relato de um estudo de caso realizado em uma escola municipal da cidade dePesqueira. Nesta instituição os alunos frequentam horários normais de aulas convencionais.
No início do ano letivo de 2010, foi observado pela professora Maria José da Silva, que seu aluno de 5 anos de idade, apresentava dificuldade de aprendizagem e o seu comportamento, mostrava sua indisciplina. Começou a ter um olhar diferenciado para aquela criança, pois ela era a única que não tinha...
tracking img