Artigo sobre dois contos de milton hatoum

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3813 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UMA ESTRANGEIRA DA NOSSA RUA E UMA CARTA DE BANCROFT, CONTOS DA OBRA A CIDADE ILHADA DE MILTON HATOUM

Sales Maciel de Góis*

Resumo Este trabalho consiste em analisar literariamente os contos1 “Uma estrangeira da nossa rua” e “Uma carta de Bancroft”, da obra A cidade ilhada (2009), de Milton Hatoum2. Para isto, serão observados nas narrativas: o enredo, o narrador, o tempo, os personagens, osímbolo, linguagem, intertextualidade e outras particularidades. Além disto, serão sugeridos alguns questionamentos para reflexão literária a respeito dos contos escritos por Hatoum, bem como um pouco da apologia que o autor apresenta a respeito da cidade de Manaus. Na introdução, o leitor encontrará os 14 títulos dos contos da obra a pouco mencionada, assim como o roteiro norteador deste artigo.No desenvolvimento, será apresentada a análise propriamente dita dos contos e nas considerações finais o desfecho do trabalho juntamente com algumas questões a serem pesquisadas por outros estudiosos de literatura regional e brasileira. Para isto utilizouse dos seguintes teóricos: Azeredo (2008), Tavares (2002), Coutinho (2008), D’onófrio (2007) e outros. Palavras – chave: conto; narrativa;carta. Abstract

Introdução A obra A cidade ilhada é uma coletânea composta por quatorze contos3, são eles: Varanda da Eva; Uma estrangeira da nossa rua; Uma carta de Bancroft; Um oriental na vastidão; Dois poetas da província; O adeus do comandante; Manaus, Bombaim, Palo Alto;

* Estudante do Curso de Letras-Língua e Literatura Portuguesa e Língua e Literatura Espanhola, na Universidade Federal doAmazonas – UFAM/ Instituto de Natureza e Cultura – INC/ Benjamin Constant-AM, pastor da Primeira Igreja Batista em Tabatinga-AM, Bacharel em Teologia pela Faculdade Teológica de Boa Vista-FATEBOV, autor do livro Jesus é Deus (2011), e organizador das obras: Páginas de Vidas (2011) e A Muhuraida: o primeiro poema épico escrito no Amazonas (2011). 1 Na contracapa da obra A Cidade Ilhada (2009), opróprio autor chama de “contos” as histórias apresentadas nesta obra. 2 Nascido em Manaus em 1952, estudou arquitetura, ensinou literatura brasileira na Universidade Federal do Amazonas e na Universidade da Califórnia, em Berkeley, escreveu outras obras como: Relato de um certo Oriente (1989), Dois irmãos (2000), Cinzas do Norte (2005) e Órfãos do Eldorado (2008). Atualmente é colunista do Estadode São Paulo e do Terra Magazine. 3 É a espécie narrativa de maior brevidade. É como o chamou Lúcia Miguel Pereira, no seu livro “Machado de Assis”. (TAVARES, 2002, p. 123)

dois tempos; A casa ilhada; Bárbara no inverno; A ninfa do teatro Amazonas; A natureza ri da cultura; Encontros na península e Dançarinos na última noite. Embora a obra A cidade ilhada (2009) seja composta por vários contosnão se analisarão todos eles, senão o segundo conto intitulado “Uma estrangeira da nossa rua” e o terceiro cujo título é “Uma carta de Bancroft”, para isto se levarão em consideração os seguintes aspectos narrativos: enredo, narrador, tempo, espaço, personagens, linguagem, intertextualidade, símbolo, literaturas versus história, além de outras peculiaridades dos contos e alguns questionamentosreferentes aos escritos de Hatoum. Os principais teóricos que compõem a base desse artigo são: D’Onófrio (2007), Coutinho (2008), Tavares (2002) e outros.

1. Análise da narrativa: uma estrangeira da nossa rua 1.1 narrador No conto “Uma estrangeira da nossa rua”, o narrador4 aparece na primeira pessoa do singular, por exemplo: “(...) do aeroporto para casa, eu observava os lugares” (p.15). O “eu”que narra se identifica como personagem principal. A partir deste “eu” toda a trama há de se desenvolver. De acordo com Salvatore D’Onófrio (2007, p. 53) este tipo de narrador é denominado como narrador-personagem, pois “(...) ele nos conta uma história por ele vivida, a história de uma parcela de sua existência”, nesse sentido é justamente o que acontece na narrativa do conto, na qual o autor se...
tracking img