Arquiteturas no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3366 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Centro Universitário Belas Artes de São Paulo












História da Arquitetura no Brasil II
Profº. Ademir Pereira dos Santos








Resumo dos Capítulos 6,7,8 e 9
do livro “Arquiteturas no Brasil“



















Capítulo 6 - A Afirmação de uma Escola 1943-1960
Na arquitetura pós-guerra aparece uma grandediversidade de nomes e qualificações. Isso resultou num grupo, cujo conjunto de idéias contestava a austeridade e impessoalidade da arquitetura funcionalista.
Durante esse período de pós-guerra, os grandes centros capitalistas encontravam-se em crise. Isso fez com que os Estados Unidos se tornassem o novo centro capitalista. Nesse período, o Brasil obteve um grande desenvolvimentoeconômico, e consequentemente, um desenvolvimento tecnológico.
Um fato marcante na implantação do movimento moderno foi o patrocínio governamental. A arquitetura brasileira desenvolveu-se no ambiente da Guerra Fria, dessa forma, muitos arquitetos com postura comunista sofreram severas restrições.
O descontentamento de alguns arquitetos, sobre a maneira que a arquitetura se aplicava, foi postoao público através de uma moção ao IV Congresso dos arquitetos. Nessa, concluíam que a arquitetura estava ameaçada devido ao isolamento do povo, e a única maneira dela se desenvolver seria através da democratização.
As propostas de habitações modernas eram de matriz racionalista. A hierarquização das vias, preferência de habitações em casas geminadas – vislumbrando a padronização depré-fabricados –, a racionalização do interior da unidade de moradia com a adoção do apartamento duplex.
Em 1955, Juscelino Kubischek criou um slogan para o ritmo desenvolvimentista : “50 anos em 5”. E Brasília foi uma das alavancas de sua gestão. Oscar Niemeyer já fora selecionado como autor dos projetos dos principais edifícios públicos, enquanto Lucio Costa ganhou o concurso para realizar oplano-piloto de Brasília.
Lucio Costa atribuiu à cidade uma ordenação segundo quatro grandes escalas: a monumental, a residencial, a gregária e a bucólica.






























Capítulo 7 –


No período de 1945 a 1970, a arquitetura cresceu e atingiu grande sucesso nacional e internacional. Começando com matérias impressas, houve olançamento de várias revistas e diários entre os quais se destacam Acrópole (1941-1971), Arquitetura e Engenharia (1946-1965), Habitat (1950-1965), Brasil Arquitetura Contemporânea (1953-1957), AD Arquitetura e Decoração (1953-1958), Módulo (1955-1965), Brasília (1957-1961) e Arquitetura (1961-1969). A divulgação de publicações com esse tema arquitetônico resultou em uma grande demanda por profissionaisna área, o que gerou a necessidade da formação de muitas universidades e escolas de arquitetura, em vários estados e cidades do Brasil, tais como Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Salvador, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Brasília, Paraná e Ceará. Entre esses, o Rio de Janeiro foi o principal centro de formação de arquitetos, até por volta de 1950. Entre os professoresdestacados para lecionar nessas escolas e universidades estavam Lúcio Costa, Oscar Nyemeyer, Reidy, Alcides da Rocha Miranda, Burle Marx e Jorge Moreira. No entanto, além de apenas ensinar, esses arquitetos tão consagrados exerciam sua função como profissionais, e por isso, levavam uma vida de migração e peregrinação por entre os estados do Brasil. Junto a esses profissionais, jovens estudantes passarama se lançar para outras partes do país, disseminando assim novas ideias, as quais resultaram em misturas de cultura, valores, conhecimento, tecnologia, características específicas de cada estado, influências de regiões mais desenvolvidas em outras menos desenvolvidas. Esses aspectos formaram um intercâmbio de cunho nacional. A abordagem internacional veio logo em seguida.
Após a...
tracking img