Arquitecto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 27 (6659 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CADERNO DE ENCARGOS DE ÁGUAS


[pic]



CONDOMINIO DO BENGO
Rua Fernão de Sousa, Vila Alice, Luanda

Julho de 2005












I – CONDIÇÕES GERAIS

1 – ÂMBITO E DEFINIÇÕES
2 – REGULAMENTO E NORMAS
3 – DEFINIÇÕES DA EMPREITADA
4 – ENSAIOS DE REALIZAÇÃO
5 – QUALIDADE DOS TRABALHOS E MATERIAIS
6 – DOCUMENTAÇÃO
7 – LEGALIZAÇÃO


II – CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS1 - DISPOSIÇÕES CONSTRUTIVAS

1.1 - Traçado das Condutas
1.2 - Atravessamento de Elementos Rígidos
1.3 - Juntas de Dilatação
1.4 - Suportes da Tubagem

2 - TUBOS E ACESSÓRIOS

2.1 - Tubos de “MultiPex”
2.2 - Tubos de Aço Galvanizado
2.3 - Tubos de Polietileno Reticulado "Pex"

3 -ACESSÓRIOS DA REDE

3.1 - Válvulas
3.2 -Colectores de Distribuição Tipo "Pex"
3.3 – Filtro

4 – RESERVATÓRIOS

5 - EQUIPAMENTO ELECTROMECÂNICO

5.1 – Central de Bombagem – Incêndios
5.2 – Central de Bombagem – Águas de Consumo


6 – BOCAS DE INCÊNDIO

7 – TUBAGEM


I - CONDIÇÕES GERAIS


1 - ÂMBITO E DEFINIÇÕES

As peças de projecto que constituem o presente volume destinam-se a estabelecer condições a que devemsatisfazer os materiais, bem como o fornecimento e o modo de execução dos trabalhos referentes às Instalações e Equipamento das Redes de Abastecimento de Águas e Serviço de Incêndios a instalar no edifício a levar a efeito no CONDOMINIO DO BENGO, Rua Fernão de Sousa, Vila Alice, Luanda.

Os termos "Empreitada" e "Empreiteiro" utilizados no projecto, referem-se ao conjunto de fornecimento e trabalhosaqui definidos, sem prejuízo de esse conjunto poder ser integrante de uma empreitada mais geral.

O termo "Fiscalização" utilizado no projecto refere-se ao Dono-de-Obra, ou a quem este nomeie para, em sua representação, fiscalizar a realização dos trabalhos, nas condições expressas no Caderno de Encargos - Cláusulas Gerais.

2 - REgulamentos e normas

A construção e a montagem dosequipamentos e sistemas obedecerão aos regulamentos de segurança e ás normas nacionais e/ou europeias que lhes forem aplicáveis.

3 - definição da empreitada

A Empreitada é definida pelo conjunto das peças escritas e desenhadas que constituem o presente volume de projecto e pelo que eventualmente seja estipulado no contrato de adjudicação.

Entende-se que é obrigação do Empreiteiro o fornecimento detodas as peças e acessórios, bem como a execução de todos os trabalhos, necessários à montagem do equipamento segundo as regras da arte e ao seu bom funcionamento, ou à obediência a Regulamentos e Normas, ainda que tais não estejam explícitos no projecto.

O Empreiteiro obriga-se a cumprir todas as instruções que lhe sejam dadas pelo Dono-de-Obra, ou seus representantes, durante a vigência docontrato.

O Empreiteiro responsabilizar-se-à pelo conhecimento da totalidade do projecto, com base no que o assumirá como completo, correcto e de acordo com as normas e os fins previstos, assumindo igualmente a responsabilidade dos dimensionamentos, potências, cálculos e idoneidade dos sistemas.
Ficará a cargo do Empreiteiro a elaboração das peças desenhadas de detalhe e preparação da obra, bemcomo a verificação da sua compatibilidade com a Construção Civil, Estruturas e restantes instalações.

O Empreiteiro não procederá à execução dos trabalhos sem possuir peças desenhadas aprovadas pela Fiscalização como boas para execução, sejam as do projecto, sejam as produzidas por si. Essa aprovação não reduzirá, contudo, a responsabilidade do Empreiteiro pelos seus desenhos e pela suaconfirmação dos desenhos do projecto.
Os preços unitários incluirão todos os trabalhos complementares de construção civil, indispensáveis à instalação da rede, nomeadamente abertura e tapamento de roços e abertura em elementos resistentes que possam não estar contemplados no projecto de estrutura.

4 - ensaios de fiscalização

A Fiscalização reserva-se o direito de examinar todos os materiais antes...
tracking img