Apostila de sustentabilidade, urbanismo e saneamento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 62 (15499 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal de São Carlos


Grupo de Pesquisa:

Planejamento Estratégico e Sustentado do Meio Urbano - PESMU




















REVISÃO BIBLIOGRÁFICA



Equipe de Trabalho:

BERNARDO A DO N TEIXEIRA
RICARDO SILOTO DA SILVA
SANDRA REGINA MOTA DA SILVA
GLAUCO A B G FIGUEIREDO











São Carlos, julho de 1998




1. Sustentabilidade eDesenvolvimento Sustentável





1. Evolução Histórica



A associação dos conceitos de sustentabilidade e de desenvolvimento, com a questão ambiental como pano de fundo, ocorreu num passado relativamente recente. A Ecologia, enquanto ciência, já havia dado origem, há várias décadas, ao conceito de “capacidade suporte”. Tal conceito expressava uma característica de cadaecossistema natural existente na Terra. Porém, sua extensão ao planeta como um todo, incorporando as sociedades humanas e considerando aspectos econômicos, sociais e temporais, entre outros, somente teve lugar a partir das décadas de 70 e 80 do século XX.

A origem de tal associação deveu-se ao surgimento de uma preocupação efetiva com as condições ambientais negativas que o ser humanoimpôs, ao longo de sua história e sobretudo nos últimos duzentos anos, a diversos ecossistemas. Tais preocupações começaram vir à luz a partir da década de 60, sobretudo através de manifestações de técnicos e cientistas ligados ao tema ambiental. Uma das primeiras publicações, “Primavera Silenciosa” (CARSON, 1962) tornou-se um importante marco, ao abordar as consequências nefastas do uso depesticidas. Enfatizava a ligação existente entre o ser humano e todos os outros seres vivos com o ambiente físico, mostrando que os processos naturais têm uma capacidade de ação limitada, isto é, uma capacidade que não pode ser ultrapassada pela atividade antrópica.

Outras publicações seguiram-se a essa, ao mesmo tempo em que governos e instituições começaram a se preocupar mais com osefeitos das ações humanas sobre o ambiente. Assim, a partir de 1971, surgiu, o programa da UNESCO O Homem e a Biosfera (Man and Biosphere – MAB), que procurou desenvolver pesquisas ecológicas com um caráter interdisciplinar, em que as ciências sociais e as naturais tinham igual importância. Suas atividades repousavam sobre um conceito novo, o de “conservação para um desenvolvimento duradouro” (vonDROSTE, 1987).

No ano seguinte, dois outros acontecimentos vieram enfatizar a questão ambiental na agenda de problemas mundiais. O primeiro foi a publicação do relatório denominado “Os Limites do Crescimento”, através do qual um grupo de estudiosos, constituindo o Clube de Roma, alertava para a escassez de diversos recursos naturais, em decorrência de sua exploração desenfreada. Osegundo ocorreu em Estocolmo na Suécia, entre 5 e 16 de julho de 1972, onde a ONU promoveu a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente Humano, em que, pela primeira vez, um número significativo de países se reuniu para discutir aspectos relativos ao meio ambiente. A relação com o desenvolvimento, que já havia sido abordada num relatório preliminar, apareceu em alguns dos 26 princípioscontidos na Declaração de Estocolmo sobre o Meio Ambiente, podendo-se destacar:

- Princípio 5: os recursos não renováveis da Terra devem ser aproveitados de forma a evitar o perigo do seu futuro esgotamento e assegurar que os benefícios de sua utilização sejam compartilhados por toda a humanidade;

- Princípio 8: o desenvolvimento econômico e social é indispensável para assegurar aohomem um ambiente favorável de vida e de trabalho e criar na Terra condições necessárias para a melhoria da qualidade de vida;

- Princípio 14: o planejamento nacional constitui um instrumento indispensável para conciliar os imperativos do desenvolvimento e a necessidade de proteger e melhorar o meio ambiente.

Segundo SACHS (1994), apesar da complexidade e gravidade dos...
tracking img