Apostila de fisioterapia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 121 (30022 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA
CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA E PATOLOGIA
NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HOMEOPÁTICAS E FITOTERAPICAS
DISCIPLINA FITOTERAPIA I




















FITOTERAPIA I























João Pessoa,
Abril de 2009

PLANTAS MEDICINAIS: HISTÓRIA, TRADIÇÃO E ATUALIDADE

Ao longo dahistória, o homem sempre buscou a superação dos seus males. Inúmeras etapas marcaram a evolução da arte de curar. Porém, é difícil delimitá-las com exatidão, uma vez que a arte de curar esteve, por muito tempo, associada às práticas mágicas, místicas e ritualísticas. Em todas estas etapas, as práticas de cura utilizaram as plantas medicinais.
Inicialmente, o homem se preocupou com o alívioimediato dos sintomas das doenças, principalmente a dor e, posteriormente, se dedicou ao entendimento do funcionamento do organismo, na saúde e na doença. E para curá-lo, utilizava-se daquilo que a natureza oferecia, com destaque para a utilização das plantas.
O homem sempre observou como os animais utilizavam as plantas e os efeitos que as mesmas eram capazes de provocar. Se determinada plantaprovocava um efeito benéfico para o animal, deduzia-se que, certamente, para o homem também ocorreria o mesmo.
Mas o conhecimento da utilização das plantas como medicamento não foi adquirido apenas observando os animais. O homem sempre utilizou as plantas como fonte de alimentos e observava os efeitos que elas provocavam no seu organismo. Em função disto, foi fazendo a triagem das plantas quetinham atividades alimentícias, medicinais e tóxicas, etc.
Posteriormente, passou a fazer a busca das plantas medicinais, de forma sistemática. Nesta busca, durante muito tempo, foi marcante a teoria das assinaturas. Por ela, acreditava-se que, na natureza, havia elementos capazes de curar todos os males e que estes elementos tinham um sinal, um indício capaz de identificá-los com suafunção terapêutica. O principal indício seria a semelhança da forma e da cor da planta, ou de suas partes, com os órgãos acometidos pelas doenças.
E foi assim que se deu a descoberta do potencial terapêutico das plantas medicinais. A princípio, de forma intuitiva e, posteriormente, através da experimentação sistemática.
Como exemplo do processo intuitivo e experimental, utilizado pelohomem nos primórdios das civilizações, temos a fábula que diz que um pastor todos os dias levava as suas cabras para o pasto. Enquanto pastoreava, ele observava que os animais comiam os frutos de umas das plantas que ali se encontravam e que, após algum tempo, elas ficavam completamente eufóricas a correr pelos campos. Então, ele resolveu consumir esses frutos e assim fazendo, conseguia se manteracordado e fazer suas orações. Posteriormente, passou-se a torrar os frutos desta planta, para transformá-lo em pó, usando-o na preparação de um chá, que se tornou mundialmente usado. Assim, segundo a tradição descobriu-se o uso do café.
Na antiguidade, acreditava-se na magia do reino vegetal e isto podia ser descoberto e usado através do conhecimento empírico das plantas. Essa crença foiapropriada pela alquimia e pelo ocultismo que atribuíam às plantas um campo astral capaz de interferir no corpo físico e espiritual que oscilava do bem ao mal, do amor ao ódio, da saúde à doença, da vida à morte.
Esse entendimento foi transmitido de geração a geração e até hoje, em algumas religiões, tanto orientais quanto ocidentais, acredita-se no poder mágico das plantas, a ponto de algumasdelas serem consideradas plantas sagradas, das quais se faz preparações que são capazes de provocar um estado de transe que reportam seus usuários a entidades espirituais. Em nossa cultura, podemos citar a jurema preta e o ayuasca.
Usadas com finalidades místicas ou não, ao longo do tempo, as plantas adquiriram respeitabilidade em todas as civilizações pela demonstração do seu potencial...
tracking img