Antropologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (529 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
HOMO JURIDICUS: ANTROPOLOGIA E DIREITO

Antropologia jurídica

O antropólogo pode trazer a noção de que o direito não é somente manifestação concreta da cultura de uma dada sociedade. Para WillisSantiago guerra filho, em ensaio a respeito das relações entre psicanálise, politica e estado, a letra exerce essa função constitutiva, conforme anota, já a partir da nomeação. Nesse tipo de reflexãoo ser humano pode ser aprendido enquanto um sujeito constituído normativamente e inscrito culturalmente pela herança que recebe e da qual devera dar conta em sua existência compartilhada emcomunidade com outros humanos, seja em sociedades simples ou complexas. Não esquecemos no plano simbólico é noção jurídica, e para o direito ela é o patrimônio que recebemos após a morte de nossos pais ouparentes por transmissão legal, o legado, que a eles pertencia. A herança, enquanto signo de profunda reverberação jurídica, extrapola o seu sentido instrumental de se referir àquilo que se percebe numprocesso sucessório, para significar a base sociocultural própria com a qual o individuo é conclamado a viver isto é a efetuar a sua projeção existencial enquanto carne e espirito. É a partir da letra,da lei e de suas respectivas inscrições que o ser humano, agora sujeito da início a sua jornada enquanto animal metafisico, este ser dual, a se colocar entre matéria e espírito liberdade e limitesentre si (ego) e o outro ( alter) , entre ser e deve ser. O direito, a lei, a norma são partes atuantes desse processo de viver entre o real e o simbólico, numa vida que é, de fato, a mesma dinâmicaentre essas duas dimensões dependendo sujeito, para se guiar nessa “corda bamba” do equilíbrio proveniente de sua razão. A língua, o costume, a religião, a lei, o rito, são todos eles normas fundadoras doser humano que, assim seguro de uma ordem existente, poderá inserir nela sua ação ainda que contestadora. Admitir a nossa natureza sexuada é compreender que encarnamos apenas uma metade da...
tracking img