Antrop. iii

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2726 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade federal Fluminense Instituto de Ciências Humanas e Filosofia Antropologia IIIProf.: Tânia Neiva Aluno: Ramon Klein

Questão 1:
Malinowski
A prática sistemática da observação participante deve serentendida como a grande contribuição trazida por Malinowski à teoria do trabalho de campo em Antropologia. Malinowski levava em consideração na análise não só a ação, mas também a representação da ação, atingindo os verdadeiros significados dos fenômenos culturais quando mostra uma unidade multidimensional como fato social.Geralmente, os antropólogos que antecediam Malinowski obtinham informações através de inquéritos bilíngues ou através de questionários aplicados por tradutores, a averiguação do comportamento dos nativos mostrava-se breve e superficial em relação ao peso que essas fontes de natureza secundária exerciam; e mesmo com um acúmulo de informações sobre o cotidiano dos ditos não-civilizados, uma lacunapermanecia aberta em relação ao fatos corriqueiros da vida social incapazes de serem obtidos por caminhos que não o da observação direta. Outro questionamento de Malinowski dizia respeito aos critérios de elaboração dos questionários que partiam de categorias alheias alógica do universo cultural dos nativos. Sendo assim, o próprio material etnográfico sofria distorções na sua composição, levando aocomprometimento das verdades que procurava comunicar.
Para burlar essas armadilhas, Malinowski dedicou-se a viver permanentemente nas aldeias que desejava investigar, afastando-se do convício com os homens civilizados. Apenas dessa forma conseguiria penetrar a fundo nas tessituras da língua nativa, fato primordial para compreender o que estava sendo dito pelos próprios e também participardas conversas e acontecimentos da vida da aldeia.
Malinowski deixa-se aculturar pelos costumes, hábitos, normas e crenças nativas. A descrição etnográfica realoca as verdades da língua nativa, com toda metafica que lhe é peculiar, em outra tipologia semântica que é alheia. O antropólogo entra nessa relação como um mediador. Quando Malinowski explica três caminhos que na sua pespectiva,permitem alcançar os objetivos de uma pesquisa etnográfica: 1) a descrição da organização da tribo e a respectiva documentação estatística concreta de seus objetos culturais; 2) a catalogação de fatos imponderáveis do cotidiano e dos comportamentos a ele ligados; 3) ter toda uma vasta coleção de asserções, narrativas, palavras e formulas mágicas típicas – que envolvem termos que não tem sinonímia nalíngua do observador de campo, mas que nem por isso podem prescindir se serem registradas. Nesta advertência cabe a ele ao mesmo tempo saber transitar a fundo dos recursos do idioma que fala para transmitir as mensagens ao leitor, ao mesmo tempo “limitar” o uso de sua imaginação para não fantasiar seu discurso demasiadamente, comprometendo o teor de verossimilhança cientifica que precisa ter.Questão 2:
A bruxaria para os Azande é o que fornece a causa socialmente relevante do infortúnio. Eles acreditam que os bruxos herdam a feitiçaria, que esta é uma substância física encontrada em seus corpos e pode ser identificada por um exame após morte. No entanto, a bruxaria pode ser latente, ou seja, uma pessoa pode ser bruxo sem o saber. Assim sendo, não se pode ter certeza de quem é e...
tracking img