Alucinogenos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2007 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS

ALUCINÓGENOS

MOGI DAS CRUZES
NOVEMBRO 2011
UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS

ALUCINÓGENOS

MOGI DAS CRUZES
NOVEMBRO 2011

INTRODUÇÃO
Os estudos científicos descrevem como causas do vicio fatores genéticos, orgânicos, ambientais, sociais, familiares, psiquiátricos e psicológicos. A questão das drogas desperta nossos mais profundos sentimentos, se não por outrosmotivos, pelo fato de que a sociedade em que vivem os toxicômanos é a mesma em que vivemos
A curiosidade e a busca de si mesmo fundamentam a necessidade de procurar as drogas como veiculo de autoconhecimento. É evidente que são veículos perigosos, não raramente conduzidos á morte.
O individuo usuário de droga não pode reger sua própria pessoa. A dependência das drogas pressupõe um desenvolvimentoanormal da personalidade. A adição surge a partir de conflitos não resolvidos no âmbito da personalidade.
Muitas vezes observamos que o abuso das drogas é apenas o sintoma mais visível de alguma doença psíquica ou mental que desestrutura o individuo e o obriga a fugir da realidade através dos efeitos das drogas.
A pergunta básica que expressa à magnitude do problema é: pode uma pessoa sadia,com desenvolvimento satisfatório, torna-se viciada? Acreditamos que frente a circunstancias extremamente desfavoráveis, isso possa ocorrer; de modo geral, essas pessoas terão maior capacidade em detectar os perigos que correm e poderão buscar auxilio mais precocemente.
Pode-se também argumentar que o uso social continuado de drogas leva ao vicio. Os problemas psicológicos ou psiquiátricos quepodem levar os indivíduos ao vicio são geralmente exacerbados durante a adolescência, fase de que justamente a personalidade ainda se encontra em formação.
Em relação a isto, não adianta censurar e penalizar o adolescente. É necessário compreendê-lo em suas amarguras e criar condições que facilitem o tratamento psicoterápico.
As punições dos pais servem apenas para criar mais desespero noadolescente, que vive agudos e profundos conflitos em sua alma dividida diante do caótico mundo moderno.
Os drogados denunciam por seu comportamento as falas gritantes de cada sociedade. Representam uma ruptura com os laços invisíveis que se originam na mediocridade.
Os jovens que ainda não foram iludidos pelo desejo da ganância as terríveis dificuldades de serem felizes, ainda que possuam muitodinheiro. Ironicamente, foram os jovens de classe média e alta os que primeiro se iniciaram no consumo abusivo das drogas. Apesar do dinheiro dos pais envolvidos na produção dos bens e do lucro financeiro não foram capazes de gerar bem éticos, nem produtos criativos que possam elevar o humanismo.
É lógico que o abuso das drogas não pode ser atribui somente á “droga” do mundo em que vivemos. Causa eefeito se complementam nesse ciclo do vício.
O combate contra o ego racional, muitas vezes falso e alienado (como máscara do individuo sobre ele mesmo), realiza-se das drogas, principalmente alucinógenos. Eis ai o uso que visa o desenvolvimento das potencialidades do homem e que, não raro, pode ser o primeiro passo de sua destruição.
ALUCINÓGENOS
Drogas alucinógenas são um grupo de drogasque agem no cérebro e afeta os sentidos, causando alucinações (ver, ouvir, cheirar, sentir ou tocar coisas que não existem). São derivadas de substâncias naturais ou sintéticas capazes de agir no nosso sistema nervoso, confundindo o cérebro e afetando a concentração, pensamentos e comunicação. Essas drogas fazem com que o cérebro funcione desordenadamente. Agem sobre os neuro-transmissores químicos,que transmitem as mensagens nervosas, e sobre os neurônios ou células cerebrais. Portanto, provocam anomalias, distúrbios da atividade mental, principalmente alucinações e desvios.
“No caso das drogas alucinógenas, essas agiriam como se estivessem trocando a posição dos fios do distribuidor do veículo, fazendo com que esse funcionasse de modo desorganizado.” (GRISSOLIA; SOBRINHO, 2000. Pág....
tracking img