Algo pior que a aids

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1663 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Algo pior do que a Aids

“Os testes deram positivo. Você tem AIDS.” Essas palavras do meu médico ressoaram no meu ouvido quando coloquei o telefone no gancho certo dia do ano passado. Se eu tão-somente tivesse escutado e aplicado o conselho de Deus, poderia ter evitado isso!

FUI criado como Testemunha de Jeová no estado de Washington, EUA, e meus pais cuidaram de que eu conhecesse osrequisitos de Deus. Assim, muita gente se surpreendeu grandemente quando comecei a viver contrário ao treinamento que havia recebido desde a infância.

Ter a estima dos outros garotos na escola era para mim uma obsessão. Tentei todo tipo de coisa para ser aceito. Bem, nada deu certo, e, quando tinha 15 anos, imaginei não haver mais esperança. Cheguei a tentar cometer suicídio, porém sem êxito.Passei a fumar tabaco e maconha, pensando que isso melhoraria as coisas. Bem, isso não aconteceu. Pouco depois, resolvi largar a organização de Jeová e buscar a felicidade noutra parte. Anunciei aos meus colegas de escola que não mais era uma Testemunha de Jeová, e eles pareceram gostar disso.

Uma Vida Imoral e Inconstante

Por fim, arranjei um emprego e também um apartamento numazona de marginais, onde se encontravam todos os beberrões e as prostitutas. Estes passaram a contar-me quão fácil era conseguir dinheiro. Com a ajuda deles, não demorou muito até eu ficar entendido no assunto. Passei de uma pessoa que desejava ser estimado por todos e feliz para alguém que era usado por todos e muito infeliz.

Queria mudar, voltar para casa e começar tudo outra vez. Sentia faltade meus pais e da vida que levava antes. Assim, orei a Jeová pedindo ajuda. A parte mais difícil foi chegar-me aos meus pais e pedir que me perdoassem. Sou grato de que eles se dispuseram a perdoar-me.

Os anciãos cristãos se reuniram comigo, e expressei o desejo de ser readmitido na congregação. Não foi fácil, nem para eles, nem para mim. Eu não só estava tendo problemas com os efeitoscolaterais da toxicomania, mas também havia contraído uma grave doença venérea. O médico disse-me que se eu tivesse esperado só mais um mês, teria morrido. Em que confusão eu me metera!

Com o tempo, fui readmitido, e até me casei com uma jovem duma congregação vizinha. As coisas pareciam estar melhorando. Contudo, eu ainda não apreciava o amor de Jeová. Estava tentando fazer coisas confiando emmim, em vez de me estribar na força Dele.

Menos de dois anos mais tarde, divorciei-me e fui novamente desassociado por imoralidade. Havia-me envolvido com certas pessoas mundanas. Tudo começou de forma bem inocente, mas a admoestação bíblica invariavelmente se revela exata: “Más associações estragam hábitos úteis.” — 1 Coríntios 15:33.

Aprofundei-me Novamente na Maldade

Imaginei que porme mudar para longe, não magoaria tanto minha família. Não tive problemas em arranjar um trabalho e um lugar para morar em San Francisco, na Califórnia. Uma pessoa que lidava com drogas ofereceu-me um emprego de traficante. Eu também pertencia à elite do grupo dele que podia experimentar, grátis, todas as novas ‘drogas famosas’ que surgissem. Eu tinha agora um novo tipo de popularidade. Todo mundoque me conhecia (e não eram poucos) sabia que eu tinha drogas. Procuravam-me nas ruas, nos bares e até no trabalho, desejando comprar de mim.

Além disso, eu não perdi tempo em envolver-me em imoralidade; essa era uma forma de me sentir estimado. E eu era muito estimado. Aprendi a usar outras pessoas por meio do sexo para conseguir as coisas que desejava. Vivi assim durante anos.Lembro-me vividamente duma ocasião em que tive uma febre extremamente alta e fiquei muito fraco. Meu médico não sabia o que eu tinha. Com o tempo ela passou. Só três anos mais tarde saberia a que eu ficara exposto.

Durante esse tempo, também passei a ter problemas com demônios, vindo certa vez a estar realmente sob ataque. Senti que um demônio estava tentando apossar-se de meu corpo. Foi uma luta...
tracking img