O sagrado e a Religião

Páginas: 18 (4459 palavras) Publicado: 8 de abril de 2014
O SAGRADO E A RELIGIÃO
GIL FILHO, S. F.1
O sagrado e o profano seriam duas modalidades de existência
assumidas pelo homem em sua história. São maneiras de ser no mundo e no
cosmos. A referência do sagrado posiciona o homem diante de sua própria
existência. De modo abrangente, a reflexão sobre o sagrado interessa tanto às
ciências humanas como à filosofia.
Ao apresentar e qualificar osagrado, ELIADE constrói uma ponte
interpretativa entre a natureza transcendente da religião e sua materialidade. A
manifestação do sagrado contribui para uma nova semântica de relações que
podemos caracterizar como:
O

homem

religioso

imprime

ao

mundo

sensível

uma

descontinuidade, que reclassifica qualitativamente os objetos.
Ao sacralizar o mundo, o homem religiosoatribui a significação
plena de um espaço sagrado em oposição a todo o resto, como
sendo sem forma e sentido.
Ao delimitar conceitualmente o sagrado, ELIADE, busca uma estrutura
e uma morfologia baseadas em uma gama diversificada de sacralidades ou fatos
sagrados.
A diversidade de modalidades do sagrado relativiza bastante o
conceito de hierofania. Este conceito só é delimitado pelo fato detoda e
qualquer hierofania ser histórica. Muito embora separadas pelo contexto único
de cada momento da história, as hierofanias possuem escalas de abrangência

1

Professor Adjunto do Departamento de Geografia,
Doutor em História – UFPR e Mestre em Geografia - UNESP

do local ao universal.
Na análise de OTTO (1992), o sagrado é uma categoria de
interpretação e avaliação a priori, e,como tal, somente podemos remetê-la ao
contexto religioso. A teoria do sagrado ottoniana nos permite resguardar um
atributo essencial para o fenômeno religioso ao mesmo tempo em que o torna
operacional. Nesta abordagem, o sagrado reserva aspectos ditos racionais, ou
seja, passíveis de uma apreensão conceitual através de seus predicados, e
aspectos

não

racionais,

que

escapam

àprimeira

apreensão,

sendo

exclusivamente captados enquanto sentimento religioso. O não-racional é o que
foge ao pensamento conceitual, por ser de característica explicitamente
sintética, e só é assimilado enquanto atributo. Neste patamar reflexivo está o
âmago da oposição entre o racionalismo e a religião.
A característica própria do pensamento tradicional diante do fenômenoreligioso é de reconhecer aquilo que, por um momento, não obedece às leis da
natureza. Esta intervenção no andamento natural das coisas, feita pelo
Transcendente, que é o autor destas leis, apresenta-se como uma tese
apriorística, ou seja, resta saber se a própria ortodoxia não foi responsável por
velar o elemento não-racional da religião ao enfatizar em demasia o estudo de
aspectos doutrinários erituais e menosprezar os aspectos mais espirituais e
essenciais da experiência religiosa. Otto concorda com esta assertiva. O
contexto cultural religioso do seu trabalho justifica esta premissa.
Para OTTO (1992, p. 12) “...a religião não se esgota nos seus
enunciados racionais e em esclarecer a relação entre os seus elementos, de tal
modo que claramente ganha consciência de si própria.”.Esta motivação nos
envolve especialmente com a categoria do sagrado, o que garante de forma
peculiar uma análise abrangente do fenômeno religioso.
Entretanto, se o sagrado é único enquanto categoria, paradoxalmente

ele é plural em sua realidade fenomênica. O sagrado per si é exclusivamente
explicado em sua própria escala, ou seja, a escala religiosa. Todavia, no plano
fenomênico ele seapresenta em uma diversidade de relações que nos
possibilitam estudá-lo à escala das ciências humanas.
Segundo OTTO (1992, p. 10):
...se os predicados racionais estivessem geralmente em primeiro plano, não
poderiam esgotar a idéia da divindade, pois referem-se precisamente ao elemento
que não é racional. São predicados essenciais, mas sintéticos. Só se compreende
exatamente o que são se os...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • O sagrado na Religião plano de aula
  • O sagrado e profano: a natureza da religião
  • O sagrado
  • O sagrado
  • O sagrado
  • O sagrado e o profano
  • sagrado e profano
  • Simbolos Sagrados

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!