O que Marx, na ideologia alemã quis dizer quando faz alusão ao artigo de Bruno Bauer

Páginas: 5 (1002 palavras) Publicado: 10 de agosto de 2013
Antônio Gramsci: A Concepção Ampliada de Estado.

►Para Gramsci, o Estado constitui-se na superestrutura. E a superestrutura é divida, dialeticamente, em duas esferas: a sociedade civil e a sociedade política. Segundo Semeraro (2001:74), são “distintas e relativamente autônomas, mas inseparáveis na prática”.
►A sociedade civil é o lugar dos aparelhos privados de hegemonia - “conjuntos deorganismo chamados comumente de privados” (Gramsci, 1995:10-11) – E é na sociedade civil que os intelectuais tecem e organizam a hegemonia, portanto, articulam o consenso, por meio dos aparelhos privados e “voluntários” (as escolas, os partidos, a mídia, as empresas, as igrejas, etc..) que se caracteriza pela elaboração e a difusão das ideologias e dos valores simbólicos que visam a direção(SEMERARO, 2001, p: 74).
►Já a sociedade política “compreende instituições públicas, como o governo, a burocracia, as forças armadas, o sistema judiciário”, (Idem), entre outros, essa esfera da superestrutura tem o aparato de coerção estatal que assegura ‘legalmente’ a disciplina dos grupos que não ‘consentem’ para toda a sociedade, na previsão dos momentos de crise no comando e na direção, nos quaisfracassa o consenso espontâneo (GRAMSCI, 1995, p.11).
►Desse modo, a sociedade civil e a sociedade política são esferas constitutivas da concepção teórica ampliada de Estado. Essas duas esferas estabelecem a relação entre a economia e a política, porque, segundo Coutinho não há hegemonia, ou direção política e ideológica, sem o conjunto das organizações materiais que compõem a sociedade civilenquanto esfera do ser social (COUTINHO, 1989, p. 78).
►A sociedade civil, com o conjunto das organizações privadas, visa a direção, e a sociedade política, com o aparato jurídico-coercitivo, é destinada à dominação. Portanto, dirigir (consenso) e dominar (coerção) são elementos constitutivos do conceito ampliado de Estado, que se configuram em uma unidade dialética. Essa formulação teórica foierigida por Gramsci, nos Cadernos do Cárcere, quando ele formulou a concepção de Hegemonia..
►Para Semionato (Apud. COUTINHO, 1996, p:26), Gramsci estabeleceu que “a hegemonia significa a unificação da estrutura com a superestrutura, ou seja, a relação entre a atividade de produção e cultural, do particular econômico e do universal político”. Dentro dessa perspectiva, a hegemonia é a direçãoeconômica, política, intelectual e moral exercido por uma classe dominante, que transforma os seus interesses particulares em interesses universais, porque o projeto dessa classe foi vencedor entre os projetos em disputa na sociedade civil.
►Neste ponto é bom frisar que os interesses particulares da classe dominante não são exatamente universais. Eles são absorvidos como tais, devido à ação doconsenso, cuja finalidade é convencer de que são universais os interesses da classe dominante (ou seja, os interesses particulares da classe dominante). Eis o alicerce do consenso. Por outro lado, o rompimento com a pseudo-universalidade poderá acontecer por meio da consciência crítica, elaborada pela filosofia da práxis.
►Como afirmou Gramsci (1995, p.11):
Consenso espontâneo dado pelas grandes massasda população à orientação impressa pelo grupo fundamental dominante à vida social, consenso que nasce ‘historicamente’ do prestígio (e, portanto, da confiança) que o grupo dominante obtêm, por causa de sua posição e de sua função no mundo da produção.

►Nessa linha de raciocínio, Marilena Chauí (1994:21-22) observa:
Hegemonia não é um ‘sistema’: é um complexo de experiências, relações eatividades cujos limites são fixados e interiorizados, mas que, por ser mais do que ideologia, tem a capacidade para controlar e produzir mudanças sociais. Numa palavra, é uma práxis e um processo, pois se altera todas as vezes que as condições históricas se transformam, alteração indispensável para que a dominação seja mantida. Como cultura numa sociedade de classe, a hegemonia não é apenas conjunto...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • A ideologia alemã de Marx
  • "A Ideologia Alemã" de Karl Marx
  • Fichamento ideologia alemã marx
  • Fichamento
  • Resenha A Ideologia Alemã (Marx e Engels)
  • parte da resenha ideologia alemã- Karl Marx
  • Trabalho sobre marx
  • Marx, karl & engels, friedrich. a ideologia alemã.

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!