O psicólogo na uti

Páginas: 6 (1271 palavras) Publicado: 31 de maio de 2012
Observa-se que sempre que é mencionado que “o paciente vai para a UTI”, o nível de ansiedade deste e dos familiares se eleva significativamente, devido às conotações negativas que esta carrega, principalmente a de que o paciente foi para morrer ou que foi para adiar a morte. Percebe-se que até casos considerados apenas em estado de observação, como nos pós operatórios imediatos, os pacientesquando não são preparados ou comunicados previamente do “acordar em uma UTI”, poderão ter o seu quadro orgânico alterado pela condição emocional, devido aos conceitos e valores atribuídos culturalmente a esta Unidade. 
Diante desse panorama, o paciente internado em UTI reage diante desse ambiente. Essas reações são individualizadas, subjetivas e dependentes de todo um histórico de vida que o pacientetraz consigo. A internação em UTI representa  para o paciente um estreitamento de horizontes e  uma ruptura brusca com o meio onde vive. O paciente se vê dependente de aparelhos, máquinas e pessoas estranhas constantemente, sente-se limitado em suas atividades e privado de sua liberdade, além de vivenciar sentimentos como medo, ansiedade, angústia de morte, desamparo, solidão, depressão reativa,apatia, entre outros. Assim, diante da necessidade de internação numa UTI, o paciente agrega recursos internos e mobiliza modos de enfrentamento da situação, de modo que possa se proteger da situação que lhe é imposta. 
A família também passa por um momento de impacto emocional ao saber que um ente querido precisa dos cuidados de uma UTI, pois é uma notícia que envolve algo com que não se estápreparado e que foge de suas experiências existenciais corriqueiras. Sente-se impotente frente a internação na UTI do seu familiar pois lhe é retirado o seu papel de cuidador, que fazia parte do seu cotidiano.  Deve-se ressaltar que os familiares também vivenciam sentimentos semelhantes aos dos pacientes internados, uma vez que eles também se distanciam de seu ente querido, enfrentam um ambientedesconhecido e tenso no horário de visitas e experimentam sentimentos de insegurança, medo, preocupação diante do quadro clínico do paciente. Em contrapartida, também representam uma potente força afetiva para o paciente e grande fonte de motivação. Durante o horário de visitas, é a família que traz notícias do mundo do paciente, que demonstra sentimentos de ligação importantes com ele, que oestimula a reagir diante da doença e tratamento, que acende a esperança de melhoras. Daí a importância do horário de visitas na UTI, porque a família representa vínculos que a equipe de saúde não tem, por mais que se esforce. 
Diante dessas intempéries emocionais vivenciadas tanto pelo paciente como pela família, a equipe de saúde desempenha um papel fundamental, uma vez que é ela quem cuida do pacientee atualiza as notícias do quadro clínico do mesmo para a família, o que pode minimizar as sensações e sentimentos citados. Por outro lado, a equipe vivencia diariamente situações de morte iminente, o que os leva a refletir e a ponderar questões sobre vida / morte. Questionamentos estes muitas vezes permeado pelas sensações de impotência / onipotência diante da vida do paciente. Além disso,estudos afirmam que os profissionais de saúde envolvidos com o trabalho em UTI também são confrontados, diariamente, com uma gama de sentimentos e sensações nocivos, tais como: manejo diário com a intimidade emocional e corporal do paciente, convivência com limitações técnicas, pessoais e materiais, alto grau de expectativa e cobranças dos pacientes e familiares, solicitação intermitente de decisõesrápidas e precisas, intercorrências constantes, mudanças repentinas de estado clínico do paciente, clima de constante apreensão e tensão, intensa responsabilidade por cada tarefa executada, entre outros.
Diante dessa realidade, a portaria nº645 do Ministério da Saúde estabeleceu que toda UTI deve ter equipamentos e recursos humanos especializados. Dentre esses, compreende-se os serviços prestados...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • O papel do psicologo em uti neonatal
  • As contribuiçoes do psicologo na UTI, pre projeto
  • A atuação do psicólogo em uti neo- natal
  • UTI
  • Nas em UTI
  • O psicologo
  • Psicologo
  • Psicológo

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!