O Direito a Educação

Páginas: 6 (1464 palavras) Publicado: 13 de novembro de 2014
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO CEARÁ- IESC
CURSO: PEDAGOGIA
DISCIPLINA: EDUCAÇÃO E TRABALHO
ORIENTADORA: RAQUEL LUCIANO







RELATÓRIO: TRABALHO E DIREITO A EDUCAÇÃOMISSI- IRAUÇUBA
2014


ANTONIA MARIA BRAGA LOPES
ANTONIA DE FATÍMA BRAGA
ANTONIO TEIXEIRA MOTA
JOSÉ JOSIMAR PINHEIRO MOTA
ROSIMEIRE MELO RODRIGUES
RAIMUNDO NONATO BRAGA AZEVEDO
VALCELIO TEIXEIRA DE SOUSA






Relatório O Trabalho e o Direito à Educação, para o Curso de Licenciatura plena em Pedagogia como parte de exigência daDisciplina: Educação e Trabalho, sob a orientação da professora Raquel Luciano.


































Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda.”
Paulo Freire



1. INTRODUÇÃO

O presente trabalho nos convida a reflexão sobre o processo educacional no Brasil. O depoimento da educadora a seguir nosmostra que nas últimas duas décadas houveram avanços significativos em termos de recursos, capacitação profissional, oferta de formação acadêmica e infraestrutura do aparato educacional. Somado a isso consideramos que no âmbito do trabalho os avanços da educação contribuem significativamente para melhor qualidade dos profissionais do mundo docente bem como das demais áreas de atividade.2. Histórico
Me chamo Maria Claudia Pinheiro Mota. Sou de família humilde, meu pai Raimundo Mota, agricultor e minha mãe, Iracema Pinheiro, costureira. Sou a quinta filha de uma família de 9 filhos. 4 homens e 5 mulheres. Sendo que pelas dificuldades da época, perdi um casal de irmãos ainda crianças. Somos hoje 7 irmãos. Nasci na Serra do Arrasta Couro, também conhecidacomo Serrote Seco, há aproximadamente 5 km do Missi.
Minha convivência com os livros em casa eram os do meu irmão mais velho Josimar, que muitas vezes eu cortava as figurinhas, prejudicando assim as tarefas do verso. Também via meus pais lerem a Bíblia aos domingos e isso me motivava a querer ler. Foi na Bíblia que li a primeira palavra sozinha. Ingressei na escola com 5 anos de idade, mas jásabia ler. Meu primeiro caderno era feito de folhas de papel com pauta que minha mãe costurou na máquina. Os primeiros anos do Ensino, na época, primário, fiz na Serra do Estreito, localidade que distava uns dois km de onde morávamos, uma serra ainda mais íngreme. As aulas eram ministradas na Igrejinha local e só tinha até a 3ª série. Um fato marcante para mim nesse período foi o de que eu ensinavaas tarefas para um colega para em troca escrever no meu caderno com sua caneta de 4 cores, pois meus pais não tinham condições de comprar caneta para nós, pois éramos 6 filhos estudando.
Quando concluí a 3ª série, para não ficar sem estudar fui ajudar na escolinha do Arrasta Couro que funcionava com multisseriado na casa da professora Neusa. Ia deixar meus irmãos na escola e ficava ajudando aprofessora com as crianças da alfabetização.
Assim foram 2 anos. Até que aos 12 anos vim com meus irmãos e meus primos estudar no Missi. Saíamos de casa antes de 11h da manhã e percorríamos quase 5km a pé até a escola e de volta o mesmo percurso, chegávamos em casa já a noitinha. Ainda assim depois de tomar banho e jantar eu fazia minhas tarefas de casa à luz de lamparina e passava meus cadernos alimpo, caso borrasse uma letrinha. Ainda dava tempo fazer croché para ajudar a comprar meu material escolar. As dificuldades da época eram muitas. Não havia merenda escolar para o fundamental II (5º ao 8º ano), e não tínhamos dinheiro para comprar merenda todo dia. Essa rotina se repetiu até o 8º ano, com chuva ou sol estava todo dia na escola e com ótimo rendimento.
Em 1991, já no fim do 8º...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Direito à Educação
  • O direito a educação
  • DIREITO A EDUCAÇÃO
  • Direitos a Educação
  • direito na educação
  • Educação como Direito
  • O Direito a Educação
  • Direito da Educação

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!