O ÓCIO E A EMANCIPAÇÃO

Páginas: 10 (2279 palavras) Publicado: 15 de novembro de 2013
O ÓCIO E A EMANCIPAÇÃO *
Maria Teresa Ricci**
A diferença das sociedades capitalistas modernas, fundadas no trabalho e na condenação do ócio, as sociedades pré-industriais, as sociedades antigas (gregas ou romanas) é que as mesmas respeitavam o ócio, compreendido não como inércia, mas, por assim dizer, como atividade despojada e privada de coerções, como liberdade de escolher a quese dedicar. Muitos filósofos antigos e também pensadores mais próximos a nós expressaram o seu desprezo pelo trabalho do qual pode depender a sobrevivência, assim como o dinheiro e as atividades que estão ligadas a ele. É claro que o ideal do ócio sempre foi um ideal aristocrático, mas o que interessa aqui não é fazer elogio à vida aristocrática, que como bem sabemos sempre pressupôs a existênciade classes subalternas dedicadas à obediência, mas de mostrar simplesmente que o objetivo do homem e da sociedade também pode não residir na riqueza, na produção e no trabalho, como acontece na sociedade capitalista moderna, mas em qualquer coisa de mais honroso, por exemplo, a vida de prazer ou de ócio e a vida contemplativa, para usar conceitos aristotélicos que hoje poderiam aparecer comosimples provocações.
Proporemos aqui uma panorâmica geral que não tem absolutamente o objetivo de esgotar esta temática, mas certamente de oferecer alguns pontos de reflexão sobre a possibilidade de emancipação das sujeições da sociedade atual, focando a atenção em alguns pensadores bem conhecidos ou menos conhecidos, que de tal problema trataram, desde a antiguidade até a atualidade.Na Grécia antiga, o último ideal de vida não é o trabalho ou o enriquecimento, mas certamente o prazer, o ócio. A vida do artífice, do artesão ou do mercante é desprezada porque falta a elas qualquer forma de liberdade, e se é submisso à necessidade. Aquele que deve trabalhar para viver é objeto de desprezo, enquanto o ócio é sempre honroso. Esta sociedade não conhece um termocorrespondente a trabalho como hoje é compreendido. Vernant escreve que “uma palavra como ponos ( fadiga, trabalho) aplica-se a todas as atividades que exigem um esforço penoso, e não somente aos trabalhos que produzem valores socialmente úteis". Na verdade, na Grécia antiga, não existe o ideal de trabalho como função social, como uma atividade humana específica. O trabalho é contra todas as formas de vidalivre, segundo Aristóteles que escreve na Política: "conseqüentemente, é claro que no estado conduzido do melhor modo, formado por homens absolutamente justos e não sob uma determinada relação, os cidadãos não devem levar a vida de mecânico ou de mercante ( essa espécie de vida é desprezível e contrária à virtude) e nem tão pouco ser camponeses aqueles que querem tornar-se cidadãos ( na realidadeexiste necessidade do ócio para desenvolver a virtude e as atividades políticas).
O ócio, diferentemente do trabalho, tem um objetivo em si mesmo. Mas isto não significa exaltar a inércia, a preguiça, já que a virtude para os gregos é sempre prática. De fato, diz sempre Aristóteles, “exaltar a inércia mais do que a ação não corresponde à verdade, porque a felicidade é atividade”.Na Grécia, a classe dominante e os filósofos a ela ligados consideravam, geralmente, a vida ociosa, ou seja, a liberdade de escolher a atividade a qual se dedicar,como o único bem capaz de proporcionar a vida digna de ser vivida. A vida dos homens livres era incompatível com o trabalho, já que para dedicar-se à atividade pública necessita-se de todo o tempo disponível. Mas a vida livre eociosa dedicada à filosofia, à política ou às festas era, na verdade, um privilégio de uma elite que vivia, como se sabe, do trabalho dos escravos, que constituíam a maior parte da população.
A Política de Aristóteles inicia-se com a apologia da escravidão, mas, curiosamente, ele mesmo propõe imediatamente, depois de um argumento extravagante para a sua época: “Se cada instrumento...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Ócio
  • ocio
  • O ócio
  • Emancipação
  • Emancipação
  • A emancipação
  • Emancipação
  • EMANCIPACAO

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!