A riqueza das nações

Páginas: 12 (2980 palavras) Publicado: 20 de maio de 2012
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Faculdade de Direito – FADIR
Curso de Direito - Noturno

RESUMO: A RIQUEZA DAS NAÇÕES
ADAM SMITH

CAMPO GRANDE – 2012

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Faculdade de Direito – FADIR
Curso de Direito - Noturno

RESUMO: A RIQUEZA DAS NAÇÕES
Giani A. Zalenski Nogueira

Resumo das Ideias contidas no livro “A Riqueza das Nações ” deAdam Smith apresentado conforme solicitação do Professor Marcio Canedo para a Disciplina de Economia Política.

CAMPO GRANDE – 2012

Ele pegou apenas o que sua mente superficial conseguia,
e não a essência do pensamento de Smith. Até para se
Tomar emprestado um chapéu, seja qual for o propósito,
as duas cabeças devem ter tamanhos aproximados.

John Rae, biógrafo de Adam Smith, sobre outroautor
Que tentou apropriar-se da obra de Smith .

ÍNDICE

biografia do autor 05
introdução 06
o livro em capítulos 07
capitulo i – fronteiras da europa 07
capítulo ii - trabalho e aventura 07capítulo iii – herança rural 07
capítulo iv – o semeador e o ladrilhador 08
capítulo v – o homem cordial 08
capítulo vi - novos tempos 08
capítulo vii - nossa revolução 09
consideraçõesacerca do livro 09
conclusão 12
bibliografia 13

I – BIOGRAFIA DO AUTOR
I.a – Contexto Histórico
Depois de mais de dois séculos sob forte influência das ideias e práticas mercantilistas, quepodem ser genericamente sintetizadas pelo binômio absolutismo político + intervencionismo econômico, a Europa viu nascer no início do século XVIII um movimento filosófico-cultural que exerceu enorme influência em todo o continente, o Iluminismo, que tinha por principais proposições a defesa da liberdade em todas as suas dimensões (liberalismo), o reconhecimento dos valores e dos direitos individuais(individualismo) e a crença na supremacia da razão (racionalismo).Embora as ideias iluministas tenham exercido influência em toda a Europa, ela foi mais marcante na França e na Escócia, que, por coincidência ou não, tornaram-se os berços das duas escolas de pensamento econômico surgidas na segunda metade do século, a escola fisiocrata e a escola clássica, respectivamente.

I.b – Vida e ObraNascido em 1723, Adam Smith pode ser considerado um produto desse contexto histórico, vindo a se tornar um dos maiores expoentes do iluminismo escocês e do pensamento econômico liberal. É preciso lembrar que Adam Smith, ao contrário do que fariam filósofos como Marx e Herbert Spencer no século XIX, jamais flertou com a ideias de um possível (ou desejável) desaparecimento do Estado. Defendeu, ainda,uma maior participação do setor público na educação popular, com o intuito de compensar, ao menos parcialmente, o empobrecimento existencial, ético e intelectual ("alienação") provocado pela crescente especialização das funções fabris mediante a divisão interna do trabalho. Além da divisão do trabalho, o outro conceito básico para a explicação de Adam Smith para o enriquecimento das nações é apropensão do homem à troca.

Adam Smith nasceu em 1723 em Kirkcaldy, uma pequena cidade portuária da Escócia. Seu pai, também chamado Adam, era advogado de formação, e chegou a ocupar postos de certa importância na administração escocesa, e sua mãe, Margareth Douglas Smith, descendia de proprietários de terras do condado de Fife. Adoeceu e veio a falecer em 17 de julho de 1790, em Edimburgo, aos 66...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • A riqueza das naçoes
  • A riqueza das nações
  • A riqueza da nações
  • A riqueza das nacoes
  • A riqueza das nações
  • A riqueza das Nações
  • A riqueza das nações
  • a riqueza das naçoes

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!