A inteligência estratégica e a formulação da política e da estratégia nacional de defesa

Páginas: 16 (3983 palavras) Publicado: 20 de maio de 2012
4

INTRODUÇÃO

Quando o homem, que vivia no “estado da natureza”, resolveu outorgar a uma entidade poder e autoridade para gerenciar este “estado selvagem”, este mesmo homem criou um “ser” superior, o Estado, capaz de limitar sua liberdade e seus direitos. O Estado passa a ser o dono da ordem suprema, que não deve a sua validade a nenhuma outra ordem superior, ou seja, o Estado possuisoberania. (HOBBES, 2008) De acordo com Pecequilo (2004), como não há uma ordem superior aos Estados, as suas relações (relações internacionais) permanecem no “estado da natureza” e se orientam segundo dois eixos básicos, o da cooperação e o do conflito, que se complementam. Uma vez que os Estados se relacionam constantemente, seus interesses individuais ditarão o eixo preponderante para cada situação oucada época. Observando a história podemos ver países que outrora estiveram em conflito e hoje são aliados (ex: França e Inglaterra, Alemanha e EUA). A posição que cada Estado tomará para cada situação que se lhe apresentar terá como lastro indispensável o conhecimento oportuno. A nível de Estado, esse conhecimento advirá da atividade de Inteligência estratégica, que é um dos instrumentos doEstado para a defesa de suas instituições e de seus interesses. Caberá ao Estado, desenvolver uma estrutura de Inteligência capaz de acompanhar os eventos mundiais de interesse estratégico. No caso do Brasil, o Sistema Brasileiro de Inteligência (SISBIN) é um sistema de Inteligência estratégica eficaz que permite o acompanhamento oportuno das conjunturas nacional e internacional, visando a defesa dosinteresses do Estado brasileiro. O presente trabalho apresenta a condição em que se encontram as relações entre Estados soberanos e o Brasil, a Inteligência estratégica e sua importância como subsídio e conseqüência da formulação de Políticas e Estratégias de Defesa nacionais. Para embasar teoricamente este trabalho, segue uma revisão bibliográfica de autores que analisaram o tema. O trabalho écomposto de cinco capítulos. No primeiro, define-se a Inteligência estratégica e seu papel nas relações entre Estados. O segundo apresenta a Inteligência estratégica no Ministério da Defesa. O terceiro capítulo apresenta a Política de Defesa Nacional, seus

5

objetivos orientações e diretrizes. O quarto trata da Estratégia Nacional de Defesa, os aspectos a serem explorados estrategicamente e daconcepção, estruturação e emprego das Forças Armadas. O último capítulo descreve a relação entre Estados soberanos, a conjuntura mundial atual e a inserção da América do Sul na política brasileira.

6

1. A ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA

1.1. A Inteligência Estratégica

“... Se você conhece o inimigo e a si próprio, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você conhece a si mesmo,mas não conhece o inimigo, para cada vitória haverá uma derrota. Se você não conhece nem a si mesmo nem ao inimigo, sucumbirá em todas as batalhas". (SUN TZU apud CLAVELL, 2006).

De acordo com a citação acima, podemos verificar a importância que Sun Tzu dava ao conhecimento sobre o “inimigo” há cerca de 2500 anos, o que transladado para os dias de hoje, pode ser comparado com “um princípiobásico da alta gerência de Estado recomenda que todo ato decisório deve estar lastreado em subsídios oportunos e, quando possível, amplos e seguros”. (BRASIL, 2008) A Inteligência estratégica, em um nível mais elevado, é o conhecimento que os cidadãos mais bem posicionados e os militares devem ter para salvaguardar a sobrevivência da Nação. (KENT, 1965) Segundo Kent (1965), a Inteligência estratégicaenvolve o conhecimento das intenções de outros Estados e a estimativa de suas prováveis respostas às ações que nós possamos vir a tomar. O conhecimento procurado pela Inteligência estratégica deve partir da premissa que nosso Estado, para sobreviver em um mundo competitivo e globalizado com outros Estados, deve ter dois tipos de política: uma política externa direcionada para os interesses de se...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • ESTRATÉGIA NACIONAL DE DEFESA E BIOPIRATARIA
  • Estratégia Nacional de Defesa
  • Estratégia nacional de defesa
  • Política Nacional de Defesa
  • QUESTÕES DE ADERÊNCIA DA ESTRATÉGIA NACIONAL DE DEFESA
  • Formulação estratégica
  • Formulação estratégica
  • Formulação da Estratégia

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!