A imitação da rosa

Páginas: 18 (4286 palavras) Publicado: 14 de junho de 2011
A PRESENÇA DO "OUTRO" EM "A IMITAÇÃO DA ROSA"

Edna Anita Lopes Soares - UEL/CAPES

"Então escrever é o modo de quem tem a palavra como isca: a palavra pescando o que não é palavra. Quando essa palavra morde a isca, alguma coisa se escreveu. Uma vez que se pescou a entrelinha, podia-se com alívio jogar a palavra fora. Mas aí cessa a analogia: a não palavra, ao morder a isca, incorporou-a. Oque salva então é ler 'distraidamente'."
Clarice Lispector

Clarice é o grande nome da literatura existencialista, ou como define Costa Lima, autora de "romance introspectivo". Esta sua tendência, de observar ou examinar a vida interior pelo próprio indivíduo, leva-a a interessar-se pela psicologia de cada personagem.
A autoracolocou no centro da criação o problema da busca de uma linguagem nova e especial, analítica, para traduzir a vida interior. Sabe-se que em Clarice nada é casual, gratuito, suas palavras, expressões são ,como ela mesma admite, jogadas como iscas. Formam uma verdadeira teia , em que cada fio é imprescindível para o trabalho final. Walter Benjamin diz que:

"a narrativa (...) é ela própria ,numcerto sentido, uma forma artesanal de comunicação (...). Ela mergulha a coisa na vida do narrador para em seguida retirá-la dele. Assim se imprime na narrativa a marca do narrador, como a mão do oleiro na argila do vaso"
(BENJAMIN,1987:205).

A característica da escritora está na utilização de recursos técnicos como: a análise psicológica; o monólogo interior; a introspecção na análise daspaixões e movimentos da alma; o mergulho no psiquismo, relegando para segundo plano as circunstâncias exteriores e o enredo de seus textos criando uma atmosfera densa, hermética. Affonso Romano de Sant'Anna cita a respeito de Clarice que:
"sua literatura não é realista, mas simbólica, na medida em que o texto é o instaurador de seus próprios referentes e não se interessa em refletir o mundo exteriorde um trabalho mimético"
(SANT'ANNA, 1973: 184).

Quando se analisa um texto de Lispector o importante não é ir à busca de informações extra textuais, mas sim realizar uma leitura profunda, em que, para a busca da compreensão, torna-se necessário um mergulho para capturar as suas "iscas" e interpretar as entrelinhas. Uma leitura introspectiva com a finalidade de atingir o interior do serhumano e revelar suas dúvidas e inquietações.
Em Clarice, a percepção do mundo apresenta-se em constante perplexidade e espanto, como no momento de uma revelação súbita em que a "verdade" é desvelada para trazer os objetos à consciência. Esse momento é conhecido no meio acadêmico como epifania. Um movimento dialético se estabelece entre a personagem e o outro (Eu X Outro), e a iluminação se faz.Quando acontece essa revelação e há a explosão de um outro eu, que estava reprimido, está ocorrendo o que é definido pela psicanálise como alteridade. João A. F. Pereira cita o antropólogo Carlos R. Brandão que define a alteridade como sendo" o diferente é o outro, e o reconhecimento da diferença é a consciência da alteridade." (FRAYSE-PEREIRA, 1994: 11)
Neste estudo procuro observar como aautora ,através da narração bem elaborada, chega à alteridade como resultado da epifania. Para isso, farei a leitura do conto "A imitação da rosa", do livro "Laços de família", considerando os aspectos que são elementos básicos para a compreensão de um texto, o qual é visto pela crítica, como sendo pertencente ao grupo dos romances psicológicos: a narrativa; o monólogo interior; e o tempo cronológico.Neste conto, assim como nos demais do mesmo livro, "animais e plantas se antropomorfizam num relacionamento onde os elementos perdem suas características minerais e vegetais e se convertem num outro Eu e num outro 'Tu'" (SANT'ANNA, 1973:196) revelados através de uma visão epifânica.
Segundo Fábio Lucas, o livro "Laços de família":

"está impregnado de intenção crítica, na medida em que a...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • A imitação da rosa
  • imitação
  • Imitaçao
  • A imitação em aristóteles
  • A arte da imitação
  • A arte como imitação?
  • Aprendizagem por imitação
  • rosa

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!