A EXPLORAÇÃO COLONIAL DURANTE AS TRÊS PRIMEIRAS DÉCADAS DO SÉCULO XVI.

Páginas: 15 (3611 palavras) Publicado: 25 de outubro de 2013















1-PORTUGAL E ESPANHA: O passado dos colonizadores.

Portugal e Espanha foram os primeiros estados a realizarem a expansão marítima, isso foi possível devido a uma série de pontos e características internas pela qual esses estados passavam, e que os diferenciava dos demais países europeus. Além disso, essas nações foram influenciadas pelo ambienteeuropeu da época, ambiente este que apresentava, de diversos modos, uma influência, ou melhor, uma necessidade de estender laços comerciais para além da própria Europa. Portugal e Espanha almejavam dominar o comércio no oriente mais acabariam por estender um grande domínio sobre grande parte do mundo.

1.1- OS MOTIVOS QUE TORNARAM NAVEGAR SER PRECISO

Os motivos que influenciaram Portugal eEspanha, primeiros, e principais, agentes marítimo-expansionistas, a lançarem-se a procura de terras além-mar são diversos e compreensíveis quando analisados de acordo com o contexto politico, social e econômico da época.
Na década em que se deram as navegações, toda a Europa passava por uma série de mudanças estruturais decorrentes do renascimento cultural europeu. Houve por toda a Europa,nesse período, uma considerável prosperidade econômica. Durante esse mesmo contexto se deu uma enorme aceitação das especiarias orientais no continente, passando a ser os produtos mais procurados na Europa.
Com a tomada de Constantinopla pelos turcos em 1453 o comércio especieiro foi dominado por ricos comerciantes genoveses e venezianos que cobravam altos preços por seus produtos. Tornou-senecessário procurar novas rotas comerciais.
Outro aspecto importante foi a necessidade de novos mercados e a falta de metais preciosos: A falta de alimentos devido as escassas terras férteis, a alta taxa de mortalidade populacional como consequência da fome e de doenças, e depois, o aumento da população com o controle da peste negra, provocaram uma grave crise econômica no final da IdadeMédia. Mais do que nunca tornou-se necessário encontrar novos mercados e novas fontes de lucro. A formação de colônias era indispensável para a conquista de uma balança comercial favorável, proporcionando acumulação de capitais na metrópole.
Além disso, o próprio sistema mercantilista que, reinava na Europa, objetivava o crescimento politico e econômico dos estados nacionais. Nesse âmbito asnavegações e os descobrimentos na América e no Oriente responderam às necessidades de mercado que se formava no continente europeu.
No quadro geral da Europa durante os descobrimentos entende-se porque países como Portugal e Espanha moveram tantas atenções e deram tanta importância aos movimentos marítimo-expansionistas. Em Portugal ganhou destaque o lema “navegar é preciso... viver não épreciso”.



1.2- A VANGUARDA MARÍTIMA LUSITANA
“Por outro lado, a história da expansão ultramarina e da exploração colonial portuguesa se desenrola no amplo quadro da competição entre as várias potências, em busca do equilíbrio europeu; desta forma, é na história do sistema geral de colonização européia moderna que devemos procurar o esquema de determinações dentro do qualse processou a organização da vida econômica e social do Brasil na primeira fase de sua história, e se encaminharam os problemas políticos de que esta região foi o teatro.” 1
Fernando A. Novais, “Brasil em perspectiva”.

Mesmo entre esses dois países, Portugal saiu à dianteira no processo marítimo comercial. O pioneirismo português se deu devido a um conjunto de fatores que,somados, possibilitaram ao império português ser o líder das conquistas à ultramar.
Um desses fatores foi a centralização do poder político, pois enquanto a Espanha constitui-se em uma monarquia nacional somente em 1469, com o casamento dos reis católicos Fernando de Aragão e Isabel de Castela, o reino de Portugal já o havia feito em 1385 com a Revolução de Avis, fixando assim, uma situação...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Nas primeiras decadas do seculo XVI
  • A economia colonial brasileira (séculos XVI-XIX), resumo dos capítulos dois e três.
  • As transformações das primeiras décadas do século xx
  • As transformações das primeiras décadas do século XX
  • O Plano de Avenidas e o Pensamento Urbanístico em São Paulo nas três primeiras décadas do século XX
  • Religiosidade colonial entre os séculos XVI – XVII Práticas Judaizantes na colônia
  • Bases da formação territorial do Brasil: o território colonial brasileiro no “longo” século XVI.
  • As Guerras do Século 20, A Arte no Universo Totalitário, As Vanguardas nas duas primeiras décadas do século 20 e o final do...

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!