Tripanosomose

8659 palavras 35 páginas
Universidade de Évora Medicina Veterinária ZOO 1149 - Produção Animal em Regiões Tropicais e Subtropicais 2011/2012

Tripanosomose Africana

Discente: Telma Gomes N.º 25453

Évora, 30 de Março de 2012

ZOO 1149 - Produção Animal em Regiões Tropicais e Subtropicais Medicina Veterinária 2011/2012

Tripanosomose Africana

Telma Gomes, n.º 25453

1

Índice
Introdução 1. Género Trypanosoma 1.1. Taxonomia e nomenclatura 1.2. Morfologia 1.3. Ciclo de vida 1.4. Hospedeiros e reservatórios silvestres de espécies de Trypanosoma spp patogénicas 2. O vector – Glossina spp 2.1. Taxonomia 2.2. Ecologia 2.2.1. Clima 2.2.2. Precipitação e humidade 2.2.3. Microclima 2.2.4. Vegetação 2.2.5. Actividade humana 2.3. Comportamento 2.4. Ciclo de vida 2.5. Hospedeiros 2.6. Distribuição 2.6.1. Factores limitativos à distribuição de Glossina 3. Tripanossomose animal 3.1. Epidemiologia 3.2. Patogénese 3.3. Sinais clínicos 3.4.Lesões post-mortem 3.5. Morbilidade e mortalidade 3.6. Diagnóstico 3.7. Tratamento 3.8. Prevenção e controlo 3.9. Raças tripanotolerantes 3.10. Impacto sócio-económico da tripanossomose africana 4. Tripanossomose e saúde pública Conclusão Bibliografia

1 2 2 2 5 5 5 5 6 6 7 7 7 7 7 8 9 9 10 11 11 12 13 14 14 15 15 16 17 17 19 20 21

2

Introdução “Entre a Medicina Humana e Animal não existem barreiras divisórias – nem devem existir”. Esta frase, atribuída a Rudolf Virchow, médico alemão do século XIX e considerado o fundador do conceito de “medicina social”, vem ilustrar a importância do conceito “uma só saúde”. Na verdade, cerca de 75% das doenças emergentes em países tropicais são de origem zoonótica. (Conrad, et al., 2010) Dois séculos após Rudolf Virchow, esta frase não perde importância. Hoje, quando a população mundial atingiu os sete mil milhões de pessoas, quando a emergência de novas potências mundiais altera a conjuntura global, quando a exploração dos recursos naturais é descontrolada e as alterações climáticas são acentuadas, o

Relacionados