Socrates

4207 palavras 17 páginas
INTRODUÇÃO

O objetivo da presente pesquisa é de fazer uma descrição da importância filosófica exercida por Sócrates, bem como a sua contextualização histórica. Dando, evidentemente, ênfase ao seu sistema filosófico de fazer filosofia, ou seja, de filosofar. Visto que a filosofia não pode e nem deve ser minimizada na repetição de sistemas já expostos por filósofos pertencentes a outro dado contexto histórico. É, em suma, tarefa da filosofia proporcionar a outrem a filosofar, ou seja, de aperfeiçoar pensamentos já pensados. Abrindo caminhos para que esta mesma, a filosofia, progredir no decorrer da história.
Neste sentido, acredita-se que a utilização do método socrático, a investigação dialógica, é um dos modos que podem ser utilizados na docência no ensino médio. Uma vez que tal método, na sua origem, proporcionou a evolução e novos modos de filosofia.
No primeiro capítulo será feito um levantamento das características filosóficas e o contexto histórico que viveu Sócrates. Obviamente que este capítulo não quer prolongar ou aprofundar dados históricos que são de suma importância ser conhecidos para se conhecer bem a característica socrática de seu tempo. Apenas quer ressaltar alguns fatos e características socráticas no que tange a questão da aplicabilidade de seu método. Tais como: o contexto vivido por Sócrates, onde viveu, qual a importância de seu método, como se dava a sua aplicação e como se deu a influência socrática. Subtende-se que para se compreender o pensamento de qualquer filósofo pertencente a outro tempo histórico, se faz necessário fazer menção de como se originou tal pensamento e em que tempo.
No segundo capítulo dois diálogos socráticos irão ser analisados numa ótica pedagógica, a saber: Críton e Hípias Menor. Coma finalidade de perceber, nestes mesmos diálogos, a maneira com que Sócrates fazia filosofia e fomentava ao interlocutor de fazê-la também. Claro que em momento algum quer Sócrates dar aulas e tampouco ensinar como se deve

Relacionados