Sexuação e formas contemporâneas de representação

Páginas: 18 (4494 palavras) Publicado: 28 de abril de 2013
Sexuação e formas contemporâneas de representação


Maria Cristina Poli
O artigo se propõe a trabalhar o ponto de enlace entre o singular do sujeito sexuado e os modos de representação,
culturais por princípio. Acompanhamos os passos de Foucault que, através do debate com Magritte, contextualiza as
vicissitudes da representação nos permitindo abordar, desde a perspectiva da psicanálise, suarelação com a sexuação.
Filosofia, arte e psicanálise são práxis distintas, porém estão mergulhadas no mesmo caldo cultural, precisando ter seus
debates atualizados.

Palavras-chave: Corpo, arte, psicanálise, Lacan, Freud, Foucault

* Esse artigo é resultante do trabalho de pesquisa “O campo da linguagem na fala e na escrita como fundamento do discurso e da experiência psicanalítica”,financiado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia/Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico
e Tecnológico – MCT/CNPq.

Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., São Paulo, v. 12, n. 2, p. 303-315, junho 2009
O mundo gosta de denegrir o brilhante e arrastar na lama o sublime.
(Schiller, 1801, apud Freud, 1910)

Fetichismo: o corpo como obra de arte
No texto que escreveu sobre Leonardo da Vinci,Freud (1910)faz algumas de suas mais audaciosas interpretações do enlace entre criação artística e disposição pulsional. Encontramos nesse texto o elo, muitas vezes perdido, entre dois importantes operadores no diálogo da psicanálise com a arte e com a cultura: a sublimação e o fetichismo.
Eles colocam em causa, também, o laço entre representação e corpo sexuado, de um modo que precisa serexplicitado. Podemos iniciar sua abordagem pela origem do termo “fetiche” – representante
dos deuses e elemento de culto sagrado – que indica o apoio das representações religiosas na atividade sexual:
Os dados trabalhosamente reunidos pelos investigadores da civilização nos proporcionam a certeza de que os genitais constituíram primitivamente o orgulho e a esperança dos homens; foram objeto de um cultodivino e transferiram sua divindade a todas as novas atividades humanas. De sua essência surgiram, por sublimação, inúmeros deuses, e quando a conexão das religiões oficiais com a atividade sexual ficou oculta à consciência geral, existiram cultos secretos, que se esforçaram em mantê-la viva entre um escasso número de iniciados. Por último, se extraiu tanto o elemento divino e santo da sexualidade,que o esgotado remanescente se tornou objeto de desprezo.

(p. 1597)
É nesse texto sobre Leonardo da Vinci que Freud se propõe a ler a obra do artista como uma formação do inconsciente, como um sonho. O sorriso de Gioconda, por exemplo, assim como os detalhes do quadro da Virgem com o menino Jesus e Santa Ana são interpretados como expressões de complexos inconscientes. As figuras retratadas,escreve Freud, “se acham confundidas como imagens oníricas mal condensadas” (p. 1607). São as ambivalências, as fixações eróticas, os desejos desconhecidos e sublimados que o psicanalista encontra ali, no cotejamento da biografia do autor com sua produção. No caso de Leonardo, Freud propõe que a sublimação dos desejos eróticos primários permitiu a expressão da pulsão investigativa da criança –acrescida pela forte ligação erótica com a mãe – sem deparar- se com as barreiras do recalque e da inibição, guardando, portanto, especial
intensidade. Leonardo – propõe Freud – era homossexual, havendo, no entanto, substituído a tendência erótica pela produção artística e científica. Note-se bem: ele não tinha uma prática homoerótica; porém, Freud afirma que sua posição e sua produção era a de umhomossexual. Sua obra tinha valor de fetiche: tal como o “cortador de tranças”, o artista fazia e desfazia a castração da mãe. Podemos hoje considerar excessivo o afã interpretativo de Freud. Ele comporta, no entanto, algumas importantes lições que precisaríamos lembrar quando nos dedicamos a trabalhar na interface psicanálise e cultura – entendendo por cultura os diferentes discursos e práticas...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Expressão e representação da forma
  • As três formas de representação algorítmica
  • A arte moderna e suas formas de representação
  • Formas da família na sociedade contemporânea
  • Novas formas da familia contemporanea
  • CONCEITO E REPRESENTACAO NA CULTURA PROJETUAL CONTEMPORANEA
  • As três formas de representação para Hanna Pitckin
  • A representação do multiculturalismo na sociedade contemporânea – aspectos profissionais

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!