RESENHA CRÍTICA A SOCIEDADE CONTRA O ESTADO PIERRE CLASTRES

Páginas: 8 (1957 palavras) Publicado: 20 de setembro de 2014
Resenha Crítica “A Sociedade Contra O Estado”

As características presentes em uma sociedade são: Estado, classes sociais, progresso tecnológico, crescente domínio sobre a natureza, economia comercial, propriedade privada e acúmulo de bens privados. A procura em identificar a presença ou a ausência de suas instituições nas sociedades corrobora a postura etnocêntrica adotada a própria sociedadecomo parâmetro. Sendo assim, percebe-se que o Estado, por meio de suas características articulações possui o monopólio da violência submetendo o dominado, classe inferior, pelo dominante, classe superior, bem como impele os trabalhadores a uma intensidade de trabalho cuja produção visa ao acúmulo de bens. A sociedade primitiva é caracterizada pela sociedade de falta de: avanço tecnológico,excedente, classes sociais, mercado, domínio sobre a natureza, economia, propriedade, Estado, e mesmo história e escrita. A sociedade primitiva recusa o Estado, pois deseja manter-se indivisa, sem uma fratura interna entre os que mandam e os que obedecem entre os que trabalham e os que exploram entre os que vivem na miséria e os que vivem no fausto e no luxo.
Não se pode, pois fazer um elo entre asociedade contemporânea com a sociedade primitiva, visto que cada uma delas tem o seu meio específico de satisfazer suas necessidades, não sendo, portanto, plausível dirigir-se à sociedade primitiva como retrógada, uma vez que saciavam sua população com o mínimo possível para a sobrevivência dos mesmos. A sociedade contemporânea dedica-se quase que integralmente ao trabalho e vivem para o trabalho enão trabalham para viver, como exemplifica Clatres, os índios dedicavam-se mais em suas tradições culturais, tais como: pesca, pintura, guerra. Porém, com a chegada dos povos brancos, os impuseram forçosamente ao trabalho, negando-lhe totalmente a sua originalidade, por conseguinte muitos dos que ali viviam, já em desacordo com aquele modo de vida, enfraqueceram e logo muitos morreram. Onde esta oerro em dedicar-se as suas tradições e buscando apenas o necessário para a sobrevivência? É exatamente isso que não é ensinado nas escolas, onde todos devem cada vez mais ter posses e trabalhar até poder manter a verdadeira e boa vida burguesa da sociedade pós-moderna, onde a saúde, a alimentação, a qualidade de vida são extremante precárias, algo que não se observa nas sociedades primitivas.De acordo as sociedades primitivas os homens são senhores do seu próprio trabalho não sendo inferior ou dominado por outrem, assim sendo dividiam as horas do seu dia para realizar todas as suas atividades, incluindo o trabalho, como se vê no texto de Clastres, homens e mulheres passavam pelo menos a metade do dia quase em completa ociosidade. Tendo disponível tempo suficiente para aumentar a suaprodução, no entanto para eles esse excesso era totalmente inútil, uma vez saciada as suas necessidades, não haveria a preocupação em produzir mais. Ao substituir o lazer pelo trabalho, quando se perde o desprezo pelo trabalho já não mais existe a sociedade primitiva, é ai onde passa a existir a dominação do homem pelo outro. Observa-se que nessa relação há uma força de coerção, sujeitando à base daforça o trabalho a produção intensiva. Por conseguinte, torna-se o sujeito alienado em correlação com o seu tempo, sem almejar um fim, porém antes de tornar-se alienado, o homem passa por um processo de transformação e para alcançar a economia exploratória, deve, portanto, ter uma relação de política de poder para fundamentar a sua dominação. A sociedade primitiva, portanto, são sociedades semeconomia recusando-se a ela, produzindo-lhe apenas o essencial.
A história possui um sentido que converge com a sociedade contemporânea, onde toda sociedade um dia foi selvagem e o seu fim culminaria na sociedade de Estado e isso se caracteriza como o pressuposto do etnocentrismo. Segundo o autor o etnocentrismo atual debruça-se em dois axiomas: I. a sociedade se desenvolve sob a égide do Estado...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • A Sociedade Contra o Estado
  • Sociedade contra o estado- resumo- pierre clastres
  • Resumo "a sociedade contra o estado"
  • resumo de pierre clastres a sociedade contra o estado
  • Clastres, sociedade contra o estado
  • Resumo treze primeiros capitulos A sociedade contra o Estado Pierre Clastres
  • Fichamento pierre clastres (a sociedade contra o estado e arqueologia da violência)
  • Clastres, pierre. copérnico e os selvagens. in a sociedade contra o estado

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!