Reestruturação produtiva no setor bancário

Páginas: 84 (20872 palavras) Publicado: 12 de outubro de 2011
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 03

CAPÍTULO I – O SISTEMA FINANCEIRO NO BRASIL 07

CAPÍTULO II – REESTRUTURAÇÃO BANCÁRIA E CONSEQÜÊNCIAS INTERNAS 27CAPÍTULO III – MUDANÇAS NO PERFIL DA CATEGORIA BANCÁRIA 69

CONCLUSÃO 86

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 89

INTRODUÇÃO

O interesse pelo tema desse trabalho surgiu devido ao aumento do desemprego no país.Desemprego este que não afeta somente pessoas com baixa escolaridade, mas também trabalhadores de todos os níveis e de todas as áreas da economia.
O desemprego tem suas causas fundamentadas em dois processos: a reestruturação produtiva, decorrente da Terceira Revolução Industrial, e a adoção da política neoliberal pelos governos brasileiros nos anos 90, política caracterizada pelo processo deabertura comercial, efeito do processo de globalização mundial, pelas privatizações e pela desregulamentação do mercado de trabalho.
Todas as revoluções industriais acarretaram acentuado aumento da produtividade do trabalho e, em conseqüência, causaram desemprego tecnológico.
A Terceira Revolução Industrial trouxe consigo acelerado aumento da produtividade do trabalho tanto naindústria como em numerosos serviços, sobretudo porque recolhem, processam, transmitem e arquivam informações. Como ela ainda está em curso, é difícil prever seus resultados. Além da substituição do trabalho humano pelo computador, há crescente transferência de uma série de operações das mãos dos funcionários que atendem ao público para o próprio usuário.
A Terceira Revolução Industrial afetouprofundamente os processos de trabalho e, com toda certeza, expulsa do emprego milhões de pessoas que cumprem tarefas rotineiras, que exigem um repertório limitado de conhecimentos e, sobretudo, nenhuma necessidade de improvisar em face de situações imprevistas, pois é neste tipo de tarefas que o cérebro eletrônico se mostra superior ao humano, tanto em termos de eficiência quanto de custos.Com a política neoliberal, a partir de 1990, começa a abertura do mercado interno às importações, o que sem dúvida impulsiona o processo de desindustrialização. A desindustrialização que acomete a economia brasileira resulta de tendências universais: a Terceira Revolução Industrial e a globalização. A invasão de importados, sobretudo de proveniência asiática, tem corroído o parque industrialbrasileiro com significativa redução de alguns ramos.
Nota-se um acentuado crescimento do desemprego quando o país abriu o mercado interno às importações e começou a haver quebra de empresas, corte de postos de trabalho e crises financeiras. (Singer, 1998)
Nos anos 90, com o abandono do projeto de industrialização nacional e o ingresso numa fase de especialização competitiva, tem havido ummovimento de desestruturação do mercado de trabalho.
Em geral, as economias capitalistas registram elevadas taxas de desemprego, mudanças desregulatórias nas relações trabalhistas, constante precarização do mercado de trabalho e diferentes formas de manifestação da insegurança no emprego. O aparecimento de novas formas de exclusão junta-se às tradicionais, muito conhecidas nas economiasperiféricas, especialmente no Brasil.
As empresas capitalistas passaram a transformar uma parcela de seus empregados em fornecedores autônomos de serviços, mediante a assim chamada terceirização.
Outro agravante é que a crescente informalização das relações de trabalho está golpeando também trabalhadores qualificados e antigos empregados com grau universitário.
A exclusão do...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Reestruturação do setor bancário brasileiro na década de 90
  • REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA
  • reestruturação produtiva
  • Reestruturação produtiva
  • reestruturação produtiva
  • Reestruturação produtiva
  • A Reestruturação Produtiva
  • Reestruturação produtiva

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!