Questionártio

Páginas: 5 (1029 palavras) Publicado: 14 de junho de 2012
Question3
Notas: 4
Analise a seguinte situação:

Paulo e Júnior envolveram-se em um acidente de trânsito e, após apuração dos fatos, perceberam que Paulo estava em posição de cobrar de Júnior o valor referente ao prejuízo causado. No entanto, Júnior não quer ressarcir Paulo. Sabemos que, para resolver esse litígio, será necessário que Paulo recorra ao Poder Judiciário através de um processo.Esse processo faz parte de qual ramo do Direito?
Escolher uma resposta.
| a. Direito Público. | |
| b. Direito Privado. | x |
| c. Direito Previdenciário. | |
| d. Direito Individual. | |
| e. Direito Coletivo. | |
Question5 ok
Notas: 4
O autor do livro-texto informa que: “O juízo moral pressupõe um ponto de vista voltado para o interior. A moral impõe ao sujeito umaescolha entre as ações que pode praticar, mas diz respeito ao próprio sujeito”, e que “(...) Para o Direito, o comportamento do sujeito é levado em consideração tendo em vista o comportamento de outrem”.

Partindo dessas afirmativas, considere os fatos I e II, a seguir:

I) uma pessoa não cumprimenta outra, propositadamente;
II) uma pessoa agride outra, fisicamente e de forma proposital.

Osfatos ferem, respectivamente, as órbitas:
Escolher uma resposta.
| a. do Direito e da Moral. | |
| b. da Moral e do Direito. | x |
| c. do Direito Objetivo e da Moral Objetiva. | |
| d. da Moral Subjetiva e do Direito Subjetivo. | |
| e. da Moral e do Justo. | |
Question6
Notas: 4
A partir de que momento o consumidor tem o direito de reclamar de um vício oculto?
Escolher umaresposta.
| a. Da data da emissão da nota fiscal. | |
| b. Da data do aparecimento do vício. | x |
| c. Do dia da compra. | |
| d. O Prazo não prescreve. | |
| e. Cento e vinte dias depois do aparecimento do vício. | |
Question7
Notas: 4
Para que um negócio jurídico seja considerado válido diante da Lei, é preciso que obedeça a alguns requisitos, quais sejam:
Escolher umaresposta.
| a. A capacidade do agente, objeto lícito, forma determinada em lei e princípio da boa-fé. | x|
| b. A forma determinada em lei e princípio da boa-fé. | |
| c. A capacidade do agente, objeto lícito e forma determinada entre as partes contratantes. | |
| d. A capacidade do agente, objeto lícito e princípio da boa-fé. | |
| e. A capacidade do agente e objeto lícito. | |Question8
Notas: 4
Leia os textos sobre as formas de governo (Monarquia e República) e regimes de governo (Presidencialismo e Parlamentarismo):

I - Na estrutura do Estado, sua organização e funcionamento, o princípio da separação de poderes (Executivo e Legislativo) poderá ter maior ou menor relevo. Portanto, no presidencialismo, o órgão legislativo e o órgão executivo são visivelmenteseparados entre si, sem que nenhuma relação de dependência política os una. Entre o Poder Executivo e o Poder Legislativo não há, pois, a mínima subordinação política.
II - No parlamentarismo, a função do chefe é meramente política; seu papel é de coordenador e árbitro. O Poder Executivo está a cargo do gabinete ou conselho de ministros, e o ministério, ou gabinete, tem suas tarefas dependentes doapoio da maioria parlamentar. Por essas razões os ministros são escolhidos entre os componentes do parlamento, surgindo daí uma perfeita colaboração entre o poder Executivo e o Legislativo, havendo subordinação política entre Governo e Parlamento.
III - De modo geral, a Monarquia é o governo de um só indivíduo. A Chefia do governo está confiada a essa pessoa mesmo que ela sofra a influência de algumgrupo, ou seja, ela governa com ou sem limites jurídicos. Existem três características básicas que definem uma Monarquia e são elas: I- Vitaliciedade II- Hereditariedade e III- Irresponsabilidade (para as Monarquias Absolutistas).
IV - A República surge como oposição à Monarquia. O chefe de Estado não é vitalício, é eleito pelo povo e, portanto, o seu poder emana deste e deve ser usado em seu...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!