Psicologia

Páginas: 35 (8703 palavras) Publicado: 28 de abril de 2013
Ciências & Cognição 2007; Vol 12: 178-191 S u b me t i d o e m 2 4 / 0 9 / 2 0 0 7 | A c e i t o e m 2 6 / 1 1 / 2 0 0 7 | I S S N 1 8 0 6 - 5 8 2 1 – P u b l i c a d o o n l i n e

© Ciências & Cognição e m 0 3 d e d e z e mb r o d e 2 0 0 7

Ensaio

O que é ser humano?
What is to be a human being? Luiz Antonio Botelho Andrade
a ,a

, Edson Pereira da Silvab e Eduardo PassoscDepartamento de Imunobiologia, Instituto de Biologia, Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, Rio de Janeiro, Brasil; bLaboratório de Genética Marinha, Departamento de Biologia Marinha, UFF, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil; cDepartamento de Psicologia, ICHF, UFF, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil Resumo
Este artigo tenta mostrar que o humano do ser humano é mais o resultado de um devir do que oapogeu de um acabamento biológico capturado e engessado por uma concepção tipológica de espécie. A partir do processo evolutivo e de algumas etapas da evolução humana, ressalta-se a importância da sociabilidade para o surgimento da linguagem articulada e desta para a explosão da inventividade humana, o surgimento da cultura e a emergência da autoconsciência. © Ciências & Cognição 2007; Vol. 12:178-191.

Palavras-chave: australopithecus; autoconsciência; cultura; evolução; linguagem; ser humano. Abstract
This essay tries to demonstrate that the adjective “human” attached to the term “human being” is not given as the result or the end of the biological process; it can not be understood under a typological concept of species. Using the evolutionary process and especially some of itssteps, the importance of the sociability to the development of language which explains the explosion of human creativity, the appearance of the culture and the emergence of the self-consciousness is underlined. © Ciências & Cognição 2007; Vol. 12: 178-191.

Key Words: australopithecus, self-consciousness, culture, evolution, language, hu- L.A.B. Andrade é Doutor em Imunologia (Instituto Pasteur,França). Atua como Professor Adjunto do Departamento de Imunobiologia, Membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação Superior da Faculdade de Educação da UFF. O professor Andrade se dedica ao estudo e desenvolvimento das idéias de Humberto Maturana e Francisco Varela à educação. Endereço para correspondência: Departamento de Imunobioloiga, Instituto de Biologia, Outeiro São João Batista, s/n,Campus do Valonguinho, Niterói, RJ, Brasil. E-mail para correspondência: labauff@yahoo.com.br. E.P. Silva é Doutor em Genética (Universidade de Wales-Swansea). Atua como Professor Adjunto do Instituto de Biologia e Chefe do Laboratório de Genética Marinha (UFF), onde trabalha com genética de populações utilizando métodos moleculares. O professor Edson é responsável por artigos científicos nas áreasde Genética e Evolução, bem como sobre a epistemologia e aprendizagem nestas áreas. Endereço para correspondência: Laboratório de Genética Marinha, Instituto de Biologia, UFF, Niterói, RJ, Brasil, 24.001-970. E-mail para correspondência: gbmedson@vm.uff.br. E. Passos é Doutor em Psicologia (Universidade do Rio de Janeiro). Professor Associado I do Departamento de Psicologia (UFF). Atua comoProfessor na Graduação e Pós-graduação (Departamento de Psicologia, UFF). Endereço para correspondência: Departamento de Psicologia, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Campus do Gragoatá, s/n, bloco O, segundo andar, UFF, Niterói, RJ. E-mail para correspondência: e.passos@superig.com.br.

178

Ciências & Cognição 2007; Vol 12: 178-191

© Ciências & Cognição

man being. 1. Introdução Oprincipal objetivo deste ensaio é ressaltar o devir e o inacabamento biológico e histórico do ser humano usando, para tanto, o ferramental teórico da Biologia do Conhecer (Maturana e Varela, 1990, 1997; Maturana, 1997). Assim, para dar início à nossa empreitada intelectual, analisamos a questão colocada no título desse artigo a partir de duas etapas importantes do processo evolutivo humano, a...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Psicologia ou as psicologias
  • A psicologia ou as psicologias
  • A psicologia ou as psicologias
  • A PSICOLOGIA OU AS PSICOLOGIAS
  • A psicologia ou as psicologias
  • Psicologia ou psicologias
  • A psicologia ou as psicologias
  • A psicologia ou as psicologias.

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!