psicolgia

Páginas: 7 (1514 palavras) Publicado: 17 de setembro de 2014
A PSICOLOGIA OU AS PSICOLOGIAS

Usamos o termo psicologia no cotidiano com vàrios sentidos. Por exemplo, quando falamos deo poder de persuasão de um vendedor, dizemos que ele usa de psicologia para vender seu produto; quando nos referimos à jovem estudante que usa seu poder de sedução para atrair o rapaz, falamos que ela usa de psicologia; e quando procuramos aquele amigo, que está sempredisposto a ouvir nossos problemas, dizemos que ele tem psicologia para entender as pessoas.
Será essa a psicologia dos psicólogos? Certamente não. Essa psicologia, usada no cotidiano pelas pessoas, em geral, é denominada de psicologia do senso comum. Mas nem por isso deixa de ser uma psicologia. O que estamos querendo dizer é que as pessoas, em geral, têm o domínio, mesmo que pequeno e superficial,do conhecimento acumulado pela Psicologia científica, o que lhes permite explicar ou compreender seus problemas cotidianos de um ponto de vista psicológico.

SENSO COMUM: CONHECIMENTO DA REALIDADE
Existe um domínio da vida que pode ser entendido como vida por excelência: é o cotidiano.É no cotidiano que tudo flui,que as coisas acontecem, que nos sentimosvivos, que vivemos a realidade. Nesse instante estou lendo um livro de psicologia, logo mais estarei em uma sala de aula fazendo uma prova e depois irei ao cinema. Enquanto isso, sinto sede e tomo um refrigerante na cantina da escola; sinto um sono irresistível e preciso de muita força de vontade para não dormir em plena aula; lembro-me de que havia prometido chegar cedo para o almoço.Todos essesacontecimentos denunciam que estamos vivos. Já a ciência é uma atividade eminentemente reflexisiva. Ela procura compreender, elucidar e alterar esse cotidiano, a partir de seu estudo sistemático.
Quando fazemos ciência,baseamos-nos na realidade cotidiana e pensamos sobre ela.Afastamo-nos dela para refletir e conhecer além de suas aparências. O cotidiano
e o conhecimento científico que temos darealidade aproximam-se e se afastam. Aproximam-se porque a ciência se refere ao real; afastam-se porque a ciência abstrai a realidade para compreendê-la melhor, ou seja, a ciência afasta-se da realidade, transformando-a em objeto de investigação- o que permite a construção do conhecimento científico sobre o real.
Para compreender isso melhor, pense na abstração(no distanciamento e no trabalhomental) que Newton teve de fazer para, partindo da fruta que caía da árvore (fato cotidiano), formular a lei da gravidade (explicação científica).
Ocorre que, mesmo o mais especializado dos cientistas, quando sai de seu laboratório, está submetido à dinâmica do cotidiano, que cria suas próprias regras de sociabilidade e funcionamento. Nessa dimensão do conhecimento, o que importa é a praticidade e asolução rápida para os problemas que se apresentam no dia a dia. Por vezes, usamos a tradição de nossos antepassados e o fazemos muitas vezes esquecendo sua origem.Em outros momentos, agimos baseados em teorias científicas, mas a usamos de forma simplificada e improvisada. Também utilizamos frequentemente o ensaio e o erro, que nesse estágio funciona muito bem. O fato é que o conhecimentoconstruído no cotidiano usa muitos recursos (algumas vezes sofisticados) e ao mesmo tempo é um conhecimento improvisado, que depende da ação imediata. Todos nós- estudantes, psicológos, operários, físicos, moradores de rua, teólogos,artistas- vivemos boa parte do nosso tempo esse cotidiano e suas regras.
Ofato é a dona de casa, quando usa a garrafa térmica para manter o café quente, sabe por quanto tempoele permanecerá razoavelmente quente, sem fazer nenhum cálculo complicado e, muitas vezes, desconhecendo completamente as leis da termodinâmica. Quando alguém em casa reclama de um problema digestivo, ela faz um chá de boldo- que é uma planta medicinal já usada pelos avós de nossos avós-, sem, no entanto, conhecer o princípio ativo de suas folhas nas doenças hepáticas e sem nenhum estudo...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • psicolgia
  • psicolgia
  • psicolgia juridica
  • Psicolgia questaõa
  • Atividade e psicolgia
  • A historia da psicolgia
  • Psicolgia no direito
  • Introdução a psicolgia

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!