Prosa - A Bagaceira

Páginas: 2 (346 palavras) Publicado: 17 de setembro de 2014
A bagaceira (Prosa)
Os fantasmas estropiados como que iam dançando de tão trôpegos e trêmulos, num passo arrastado de quem levas as pernas, em vez de ser levados por elas.
Andavam devagar, olhandopra trás, como quem quer voltar. Não tinham pressa em chegar, porque não sabiam aonde iam. Expulsos do seu paraíso por espadas de fogo iam, ao acaso, em descaminhos, no arrastão dos maus fados.Fugiam do sol e o sol guiava-os nesse forçado nomadismo. Adelgaçados na magreira cômica, cresciam, como se o vento os levantasse. E os braços afinados desciam-lhes aos joelhos, de mãos abanando.
Vinhamescoteiros. Menos os hidrópicos – doentes da alimentação tóxica – com os fardos das barrigas alarmantes.
Não tinham sexo, nem idade, nem condição nenhuma. Eram os retirantes. Nada mais.
Meninotas,com as pregas da súbita velhice, careteavam, torcendo as carinhas decrépitas de ex-voto. Os vaqueiros másculos, como titãs alquebrados, em petição de miséria. Pequenos fazendeiros, no arremessoigualitário, baralhavam-se nesse anônimo aniquilamento.
Mais mortos do que vivos. Vivos, vivíssimos só no olhar. Pupilas do sol da seca. Uns olhos espasmódicos de pânico, assombrados de si próprios. Agônicaconcentração de vitalidade faiscante.
Faiscavam o cheiro enjoativo do melado que lhes exacerbava os estômagos jejunos. E, em vez de comerem, eram comidos pela própria fome numa autofagia erosiva.(José Américo de Almeida, A Bagaceira, p. 05)





“Coitado do Santa Fé! Já o conheci de fogo morto. E nada é mais triste do que engenho de fogo morto. Uma desolação de fim de vida, de ruína, quedá à paisagem rural uma melancolia de cemitério abandonado. Na bagaceira, crescendo, o mata-pasto de cobrir gente, o melão entrando pelas fornalhas, os moradores fugindo para outros engenhos, tudodeixado para um canto, e até os bois de carro vendidos para dar de comer aos seus donos. Ao lado da prosperidade e da riqueza do meu avô, eu vira ruir, até no prestígio de sua autoridade, aquele...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • a bagaceira
  • A Bagaceira
  • Bagaceira
  • A bagaceira
  • a bagaceira
  • A bagaceira
  • a bagaceira
  • A bagaceira

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!