Português-libras

Páginas: 19 (4559 palavras) Publicado: 10 de novembro de 2012
REVISTA LETRA MAGNA Revista Eletrônica de Divulgação Científica em Língua Portuguesa, Lingüística e Literatura - Ano 03- n.04 -1º Semestre de 2006 ISSN 1807-5193

ENSINO GRAMATICAL DE LÍNGUA MATERNA: UMA ARENA DE CONFLITOS.
Márcia Adriana Dias Kraemer
1

RESUMO: O objetivo deste artigo, à luz da Lingüística Aplicada, é observar o que o mundo acadêmico define como crise no ensinoaprendizagemde língua materna, pautando-nos em alguns questionamentos, como: qual é o papel do estudo da gramática nesse contexto? Refletir sobre ela promove alguma atividade de formulação e de verificação de hipóteses sobre o funcionamento da linguagem? A gramática pode ser considerada um dos suportes do texto, auxiliando o desenvolvimento da capacidade comunicativa do aluno? Como pode ser trabalhada emsala de aula? Para fundamentar essa pesquisa, visitamos algumas orientações teóricas que norteiam o ensino de língua materna na contemporaneidade, valendo-nos da fala de Bakthin (1995), de Faraco (2003), de Geraldi (2002), de Koch (2003). PALAVRAS-CHAVE: Lingüística Aplicada; ensino de língua materna; gramática. ABSTRACT: The objective of this article, based on Applied Linguistics, is to observe whatthe academic world defines as the mother tongue teaching-learning crisis. We tried to answer some questions, such as: what is the role of studying grammar in this context? Does reflecting on grammar promote any kind of formulation activity and of hypotheses verification on how language works? Can grammar be considered as one of the text supports, helping in the development of the student'scommunicative capacity? How can it be worked in the classroom? To base our research, we reviewed some theoretical orientations that guide the teaching of mother tongue nowadays, such as Bakthin (1995), Faraco (2003), Geraldi (2002), Koch (2003). KEY WORKDS: Applied linguistics; mother language teaching; grammar.

1

Mestre em Letras, concentração em Lingüística Aplicada, pela Universidade Estadualde Maringá (UEM/PR). Email: marciakraemer@uol.com.br

1

REVISTA LETRA MAGNA Revista Eletrônica de Divulgação Científica em Língua Portuguesa, Lingüística e Literatura - Ano 03- n.04 -1º Semestre de 2006 ISSN 1807-5193

A normatividade da língua materna ganhou novo ímpeto com o destaque que tem recebido da mídia impressa e televisiva, em que se exploram "pedagogicamente" tópicos degramática. A fala "errada" do brasileiro tem sido assunto de reportagens ou entrevistas com "especialistas" em grandes semanários brasileiros e em programas de auditório. Que esse tema, envolvendo o ensino de gramática de língua materna e o seu uso no Brasil, tenha ultrapassado as paredes da escola, saindo dos limites da discussão de educadores, e aflore na mídia, tornando-se preocupação de outrosprofissionais, de políticos, de pais, é bom sinal! Entretanto, como é senso comum, entre nós brasileiros, não temos ido muito além de denúncias e da busca de “culpados”. Mesmo entre os profissionais da área, talvez até não cabendo mais essa questão, não há consenso entre se devemos ensinar gramática ou não; qual é a maneira adequada do ensino de gramática concretizar-se; se há salvação ou o carrascogramatical deve ser liquidado. Essa síndrome acusatória que recai sobre o fato de a gramática ser o algoz da nossa língua, inculta e bela, além da falta de caracterização e de interrogação adequadas ao problema, e, principalmente, a ineficácia no encontro de possíveis soluções para o fim da caça às bruxas, causam-nos diferentes sensações. Contudo, parece-nos que, em todas elas, saímos lesados. Em umprimeiro momento, podemos sentir-nos injustiçados como alunos, por termos sidos expostos a essas incertezas; em seguida, como pais, por nossos filhos serem sujeitos, na escola, a enfrentar as conseqüências da falta de uma política pedagógica pertinente nessa área; mas, principalmente, prejudicados como professores de língua materna, porque é doloroso e, de certa forma frustrante, saber que o nosso...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Português / libras
  • Bilinguismo
  • A essência da tradução libras/português
  • Papel da escola no ensino de libras e portugues
  • “A alfabetização do individuo surdo: primeiro em libras ou em português?”
  • “A alfabetização do individuo surdo: primeiro em libras ou em português?”
  • A alfabetização do indivíduo surdo: primeiro em libras ou em português?
  • A alfabetização do individuo surdo: primeiro em libras ou em português?

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!