Perda de carga distribuída

Páginas: 5 (1181 palavras) Publicado: 2 de novembro de 2011
Estudo de perda de carga distribuída

Aislan Cardoso Leite RA: 351449-8
André de M. Betim RA: A57GGE-7
Fernanda Luísa Favaretto RA: 445024-8
Luciano de Godoi RA: A1615H-8
Maicon R. Moreira RA: A1480A-8
Sheila A. Alves dos SantosRA: A3013A-2

UNIP – Universidade Paulista – Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia (ICET)
Rua Miguel Guidotti, 405, Egisto Ragazzo – Limeira – SP – Brasil

EXPERIMENTO
ESTUDO DA PERDA DE CARGA DJSTRIBUIDA

Objetivo

Quando um fluido escoa ao longo de condutos, o Principio da Aderência provoca a formação de diagramas de velocidades nas seções doescoamento. Isto significa que as partículas do fluido deslizam umas sobre as outras provocando um atrito inferno (tensões de cisalhamento). Este atrito provoca uma perda de energia no fluido que pode ser detectada pela queda irreversível da pressão. Logo, ao calcular a carga,

H=V2 + P + Z
2g γ
em duas seçõesde um conduto de seção constante, horizontal, e possível observar a redução da mesma ao longo do escoamento. Esta redução da carga devido ao atrito e a perda de carga do escoamento.

A perda de carga ao longo de condutos retos de seção constante denomina-se "perda de carga distribuída" e indica-se por hf. Deseja-se estabelecer uma expressão empírica para a determinação de hf para serutilizada no calculo da perda de carga em instalações. Pode-se verificar experimentalmente que:
hf=f(L,DH,v,K,v)
onde:
L comprimento do trecho do conduto
DH diâmetro hidráulico do conduto (DH D, se o conduto for circular)
V = velocidade media na seção do fluido
K = rugosidade media equivalente do conduto
v = viscosidade cinemática do fluido.

Verifique que: hf=f. L . v2DH 2g

Palavras chave: Bernoulli, Perda de carga, Escoamento
Um dos objetivos desta experiência é verificar parcialmente esta expressão, isto é, verificar que hf = f (V2). Para isto, lembrando que V = Q/A, varia-se Q na tubulação e determina-se hf = f(Q). Este gráfico devera formar uma parábola, a partir de vazões relativamente altas.

O outro objetivo éverificar que f (coeficiente da perda de carga distribuída) e função de Re (n° de Reynolds). O gráfico f = f (Re) corresponde a um trecho do diagrama de Moody-Rouse, para uma curva de rugosidade K = cte., já que no laboratório ficaria complicado variar o K da tubulação.

Resumindo, os objetivos da experiência alem da observação do fenômeno, é da construção dos gráficos:
hf = f (Q) e f = f(Re)

5.2- Base Teórica e Esquema Básico

Em um trecho de conduto horizontal e de secao constante, escoa um fluido (no caso do Lab. trata-se de agua) (Fig. 5.1 ).
[pic]
Fig. 5.1

Pelo que foi dito no item 5.1, ao longo do escoamento a perda de carga provoca uma queda na pressão. Ligando-se, portanto, um piezômetro diferencial entre duas seçõesdo conduto pode-se observar um desnível h no fluido. Aplicando a Equação da Energia
entre (1) e (2):
[pic]
Como D] = D2, tem-se V, = V 2 e como o conduto e horizontal z1 = z2.
Alem disso, em um trecho de conduto reto de seção constante, a perda
de carga a denominada distribuída, logo:
[pic]
Pela Equação Manométrica:
[pic]
logo:
[pic]
Por meio de umaválvula na instalação, varia-se a vazão, observando-se a variação de h e, conseqüentemente, de hf = f (Q).

Os valores de hf e Q lançados em um gráfico deverão mostrar uma variação parábola. Por outro lado, por analise dimensional.

[pic]

Como já obtivemos hf= f (Q) = f (V), e possível obter f = f (Re), lembrando que a rugosidade K do conduto e um valor fixo. F possível, portanto,...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Perda de Carga Distribuída
  • PERDA DE CARGA DISTRIBUIDA
  • Perda De Carga Distribuída
  • perdas de carga distribuida e localizada
  • Perda de Carga Distribuida
  • perda de carga distribuida
  • perda de carga distribuida
  • Perda de carga distribuida

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!