Pedagogia nos séculos XVIII e XIX

Páginas: 14 (3373 palavras) Publicado: 24 de novembro de 2013
Introdução
Nesse presente trabalho iremos abordar o que foi a pedagogia durante os séculos XVIII e XIX e quais às intervenções foram necessárias durante esse tempo para que o ensino chegasse onde estamos hoje.
Estudaremos um pouco sobre o Iluminismo, o idealismo dialético, Rousseau, Kant, o Positivismo e Pestalozzi, buscando observar sempre quão importante foram suas pesquisas para o avançoe o aprimoramento da educação, bem como para uma nova visão da relação professor-aluno e para a valorização da independência do aprendiz e como essa independência é importante para sua autoconfiança.




















Idealismo e Iluminismo

Podemos dizer que o iluminismo foi um movimento intelectual que, apesar de já existirem vestígios de sua inicial existência noséculo XVII - vemos claramente esses vestígios nos trabalhos do francês René Descartes que utilizava a racionalidade como fonte principal de conhecimento onde tudo pré-existente era questionável e podia ser compreendido, suas teorias foram resumidas com a frase “Penso, logo existo” - seu definitivo nascimento se deu no século XVIII, século que ficou conhecido como o século das luzes, onde luzessignifica o poder da razão humana para interpretar e reorganizar o mundo, ou seja, priorizava-se a utilização da razão libertando os indivíduos de superstições e imposições exercidas pela forte presença da religião. Foi um período muito rico em reflexões pedagógicas, um dos seus aspectos mais marcantes dentro da política educacional foi referente ao empenho que realizou para tornar a escola leiga etambém como uma das funções do Estado e ia mais além dando preferência ao uso das línguas próprias de cada país com a função de diluir o uso do Latim, assim como a utilização de uma pedagogia mais prática que valorizava a ciência, as técnicas e ofícios com o intuito de desviar o rumo dos estudos que até então eram voltados exclusivamente para a área humana.
Vemos que, dentro do espírito do Iluminismo,alguns filósofos franceses como Diderot, D’ Alembert, Voltaire, Rosseau e Helvetiues não podiam ser considerados propriamente educadores, mas mesmo assim, viam o ensino como um indispensável instrumento para o desenvolvimento da utilização da razão, diminuindo assim a grande influência que as superstições e a, até então incompreensível, religiosidade exerciam sobre os indivíduos, no casoparticular de Voltaire existia certo pensamento aristocrático onde se observava o uso da razão como característica de uma elite intelectual. Provavelmente tais concepções possam ser entendidas como uma demonstração do ideal liberal, mas voltado para os interesses das classes mais altas que temiam que uma educação em massa acabasse em deturpar a organização até então estabelecida.
Podemos dizer queIluminismo foi o nome dado ao idealismo criado pela alta burguesia e que foi sendo incorporado nas classes mais baixas com o intuito de passar a ideia de que era um movimento criado para desfazer as diferenças sociais, mas que na realidade, as pessoas que possuíam o poder continuavam a governar só que de uma forma não tão distinta entre as classes (pelo menos visivelmente).
Cabe a esse tópico também,falarmos um pouco sobre o idealismo na filosofia que, quando visto do ponto de vista filosófico, temos uma alteração no sentido da palavra: no sentido comum, idealismo significa a atitude de uma pessoa com algum grande ideal, moral ou intelectual, já no sentido filosófico, idealismo pode ser definido como um conjunto de ideias que são responsável por tudo o que há no mundo.
O mais importantepensador idealista do século XIX foi Hegel que, ao desenvolver a filosofia do devir (do movimento, do vir-a-ser), desenvolveu também a dialética idealista que revela que tudo no mundo existe graças à manifestação das ideias, e por esse movimento a razão passa por todas as etapas, “desde a natureza inorgânica, a natureza viva, a vida humana individual, a social até as mais altas manifestações da...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Economia catarinense no seculo xviii e xix
  • Laicização do conhecimento nos séculos XVIII e XIX
  • ARQUITETURA E ARTE RELIGIOSA DO SECULO XVIII E XIX
  • As Fugas dos Escravos Perspectiva Histórica do século XVIII e XIX
  • Transformações sociais do final dos seculos XVIII e XIX
  • Ser africano no Brasil dos séculos XVIII e XIX
  • O período colonial brasileiro: transformações e conflitos do século xviii e início do século xix
  • A educação feminina nos séculos xviii e xix: intenções dos bispos para o recolhimento nossa senhora de macaúbas

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!