Peça - No fundo do poço

Páginas: 24 (5752 palavras) Publicado: 21 de fevereiro de 2015
No Fundo do Poço

Cena: uma sala de uma casa, apenas com um ou dois sofás.

Personagens

Eduardo (pai de família)
Verônica (mãe)
Marina (filha)
Junior (filho)
Entregador 1
Entregador 2
Mercedes (Empregada)
Matilde (Sogra)
Isabel
Godofredo
Frederico
Estela
Edisvandsom
Thaís



Eduardo (em off) – Querida, querida... (entra) (apavorado) Amor, amor...
Verônica – Fala logo!Eduardo – Amor, você não sabe a maior, você nem vai acreditar...
Verônica – Se voce não falar eu não vou saber mesmo né.
Eduardo – calma, senta aí.

Verônica senta-se

Eduardo – Eu... (respira), eu fui promovido no meu emprego...
Verônica – (levanta-se) serio amor?! Mas que bom...
Eduardo – é, é sim, e para vice-presidente.
Verônica – eu não acredito?!?!
Eduardo – pois trate deacreditar, amanhã mesmo começo a ocupar meu novo cargo.
Verônica – nossa, mas que ótimo, já to até imaginando...
Eduardo – ei, ei, vamos com calma... é, cadê os meninos? Preciso falar a novidade para eles, vou sair procurá-los...
Verônica – Tudo bem amor, ai, que tudo.
Eduardo – fui... (vai saindo)
Verônica – Amor, beijo. (manda beijo)
Eduardo – (manda outro)

Eduardo sai pela porta de dentro dacasa. Verônica senta-se e Junior entra pela porta da rua, com um papel na mão e estressado.

Verônica – Nossa, mas o que foi que aconteceu filho?
Junior – Ah, aquela diretora maldita me expulsou da escola.
Verônica – Nossa, mas pra isso voce tinha que ter feito algo, não?
Junior – Ah mãe, eu não fiz nada...
Verônica – Fala a verdade Junior.
Junior – Ah mãe, a culpa foi daquela professorade matemática...
Verônica – Como assim? Vai me explicando tudo...
Junior – Ah, foi o seguinte, a professora passou na lousa uma equação supercomplicada aí, X vai pra um lado, Y vem pra outro, muda de lado muda o sinal, pra no fim fala que X é igual a zero?!?! Puta trabalheira pra porra nenhuma, fiquei puto, meti-lhe o cacete aí, mas bati com dignidade mesmo aí...
Verônica – Ah filinho, ficaassim não. Semana que vem a gente vai te matricular em outra escola ta.

Marina entra pela porta da rua, e vai passando reto...

Verônica – Marina, vem aqui, preciso falar com vocês.
Marina – o que foi?
Verônica – uma boa noticia, ou melhor, uma Ótima noticia...
Junior – (Alegre) O que? Papai morreu?
Verônica – não, não é isso não. É uma noticia um pouco melhor. Ele foi promovido no emprego,vai ocupar o lugar de vice-presidente da empresa.
Junior – (Sarcástico) ai que ótimo...

Junior vai saindo pela porta de dentro, e seu pai, Eduardo, vai entrando por la...

Eduardo – Oi filhão...
Junior – Não enche!
Eduardo – Nossa, o que aconteceu com ele?
Verônica – Ah, ta estressadinho por que foi expulso do colégio...
Eduardo – mas de outro?
Verônica – é meu amor, é...
Eduardo –mas já é o quinto esse ano...
Verônica – Ah meu amor, isso é fora a parte, eu já falei pra eles a novidade.
Eduardo – Ah já, que bom, e o que eles acharam, meu amor?
Verônica – Ah, eles? É... ah, eles, eles... eles gostaram.
Eduardo – Ai que bom
Marina – Ah, mãe, mãe...
Verônica – Fala filha.
Marina – Mãe, eu também tenho uma novidade.
Eduardo – Serio filha?! que bom, o que é?Verônica e Eduardo sentam.

Marina – Eu sou a melhor aluna da sala.
Verônica – hum.
Marina – Vocês acreditam que hoje a professora nos ensinou a letra “c”, e eu já sei até a “e”...
Verônica – hum.
Marina – e que todos eles sabem só até o 5, e eu já sei contar até o 10.
Verônica – hum.
Marina – Mãe, sabe que eu também sou a mais bonita, a mais peituda, a mais bunduda, a mais alta...
Verônica –(altera-se) É, minha filha, talvez seja por que voce tenha 24 anos, e esta na segunda serie. (sai)
Eduardo – Bom filhinha, eu estou indo dormir, amanha tenho que acordar cedo, primeiro dia na vice-presidencia.
Marina – é pai, também já vou.
Eduardo – Boa noite filha, durma com Deus.
Marina – o senhor também papai, durma com a mamãe, por que se voce dormir com outro ela vai ficar muito brava....
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • RESENHA: BENEFICIÁRIOS OU REFÉNS? O PATRIMONIALISMO NA PERSPECTIVA DOS CIDADÃOS DE POÇO FUNDO, MINAS GERAIS.
  • - Beneficiários ou reféns? O patrimonialismo na perspectiva dos cidadãos de Poço Fundo, Minas...
  • o poço
  • Poços
  • poços
  • O que é poço
  • Poço
  • poco

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!