Parágrafo 80 da FEnomenologia do Espirito

Páginas: 4 (829 palavras) Publicado: 6 de fevereiro de 2014
O desespero, ou ainda a angústia (Angst), aparece para Hegel como condição necessária para a consciência entrar neste saber fenomenológico que é modo de manifestação do espírito em direção ao saberde si. Aqui, entretanto, uma distinção deve ser feita. Ao confrontar-se com o desespero, a consciência pode simplesmente aferrar-se à crença e à certeza absoluta de si de maneira tal que nenhumadúvida possa doravante colocar o saber em movimento. Ela “pode recuar e tentar salvar o que está ameaçada de perder”. Neste sentido, ela defende-se do desespero através da loucura. Mas se a consciência forcapaz de compreender a negatividade que ela sentiu ao ver a fragilização de seu mundo e de sua linguagem como manifestação do espírito, deste espírito que só se manifesta destruindo todadeterminidade fixa, então a consciência poderá entrar no ritmo do saber fenomenológico. Neste sentido, podemos mesmo dizer que, para Hegel, só é possível se desesperar na modernidade, já que ele é a experiênciafenomenológica central de uma modernidade disposta a problematizar tudo o que se põe na posição de fundamento para os critérios de orientação do julgar e do agir.
Logo após afirmar que a negaçãodeterminada é exatamente este movimento interno de passagem de uma figura do saber fenomenal a outra (o que poderia ser dito de outra maneira, a saber, a negação determinada é o que estabelece o regime derelação de um objeto da experiência a outro – ela é esta operação que constrói processos de relação na experiência, e não deduções de relações), Hegel lembra que esta passagem deve nos levarnecessariamente a uma meta (Ziel). “A meta está ali onde o saber não necessita ir além de si mesmo, onde a si mesmo se encontra, onde o conceito corresponde (entspricht) ao objeto e o objeto ao conceito”. Ouseja, a negação determinada é este modo de estruturar relações entre objetos, a partir de processos, que permite a realização da correspondência final entre conceito e objeto. Isto só é possível...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • A fenomenologia do espirito
  • Resumo Hegel Fenomenologia do Espírito
  • A fenomenologia do espírito de Hegel
  • Fichamento de Fenomenologia do Espírito – Parte I (1806-1807)
  • Paragrafo
  • paragrafo
  • Paragrafos
  • Parágrafo

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!