Pais e Filhos em Psicoterapia

Páginas: 5 (1048 palavras) Publicado: 12 de novembro de 2014

Pais e Filhos em Psicoterapia – O atendimento clínico com uma criança

O artigo em questão foi retirado da revista científica Psicologia, Ciência e Profissão (Qualis A2) e publicado no ano de 2012 pelas autoras, Zuleica Pretto e Fabíola Langaro, estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina. Elas apresentam, sob esse título, um relato de um processo psicoterápico realizado com umacriança de sete anos de idade com base na teoria existencialista de Jean-Paul Sartre. No artigo, expõe-se a busca de se intermediar o desenvolvimento da criança, bem como auxiliá-la na sua objetivação com base nas queixas trazidas pela mãe da criança através da teoria sartreana e por alguns autores existencialistas.
Embora Sartre tenha discorrido pouco sobre questões relacionadas à infância em suasobras, há passagens em que ele aborda de forma acentuada sobre as relações familiares, e com base nessas passagens é que se refletiram, no início do artigo, as condições de ser criança e a construção que o sujeito faz de si.
O primeiro ponto sobre a constituição do sujeito de que fala Sartre é que “a existência precede a essência”. Isso significa que o homem primeiramente existe, se descobre,surge no mundo, e que só depois se define (1978a, p.12). Dessa forma, para o existencialismo, não existe natureza humana, uma vez que o homem não pode ser conceituado antes de ser concebido. Em outras palavras, no momento em que a criança nasce não há qualquer característica, traço ou condição biológica que seja capaz de determinar como o sujeito irá se constituir. O que existe, segundo oexistencialismo, é uma condição humana, que se define através, sobretudo, das escolhas do indivíduo.
Porém, ao nascer, os sujeitos que participam direta ou indiretamente da gestação e da criação da criança, especificamente a família, é que delinearam os horizontes iniciais para a constituição do seu ser. E é na complexidade desse espaço, então, que a criança deve encontrar as condições e mediaçõesnecessárias para iniciar seu processo de subjetivação. Pode ocorrer, contudo, que nos primeiros anos de vida, a condição familiar apresente impasses que impedem a construção saudável do sujeito, lançando então a criança numa situação de insegurança, onde que, frente às dificuldades enfrentadas em seu caminho pelo mundo, sentirá seu ser ameaçado (Laing, 1987).
E foi nesse contexto que Pedro chegou àterapia. Ele foi trazido pela mãe, encaminhado por um médico do Programa de Saúde da Família, por motivo de agressividade. No entanto, logo na primeira consulta com Pedro, feita na presença de sua mãe, Maria, a mesma fez queixas sobre a instabilidade de humor do filho, de ele ser verbalmente agressivo e não gostar das brincadeiras normais, como de bola, e de escrever o tempo todo que estava em casa,confeccionando livros, porem relutava para realizar os deveres de casa.
Fazendo uma rápida investigação sobre a história da família de Pedro, descobriu-se que a mãe teve uma gravidez difícil e que mãe e filho tiveram incompatibilidade sanguínea na hora do parto. Pedro, segundo a mãe, foi sempre muito frágil e passou por vários problemas de saúde quando menor, levando-a a concentrar-seexclusivamente ao filho, fazendo ambos muito dependentes um do outro. Com relação ao pai, Maria relatou que ele era um bom pai, que dava de tudo, mas que às vezes explodia e dizia bobagens, mas depois se arrependia e pedia desculpas. O pai nunca participou das sessões, pois o seu horário de trabalho não permitia.
A partir das queixas de Maria, as sessões seguintes foram direcionadas para descrever assituações que desencadeavam em Pedro a agressividade, como ele se relacionava com as atividades da escola, com os familiares e com os amigos, levando-o assim, a compreender melhor como ele estava desempenhando o seu papel de filho\amigo\estudante.
Logo nas primeiras sessões, Pedro contou que se sentia sozinho e que não tinha muitos amigos porque seus colegas não gostavam das brincadeiras que...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Pais e filhos
  • PAIS E FILHOS
  • Pais e filhos
  • Pais e filhos
  • Pais e filhos
  • Pais e filhos
  • pais e filhos
  • RESPONSABILIDADE DOS PAIS COM FILHO

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!