origem da lingua inglesa

853 palavras 4 páginas
Quem vê a expansão da língua inglesa ao redor do mundo, sobretudo nos últimos 50 anos, pode não acreditar que a língua mais usada em transações comerciais hoje era falada por apenas algumas tribos germânicas no século 5 d.C.

Conhecer um pouco da origem das línguas significa entrar em contato com a história da humanidade, com as disputas políticas que marcam essa história e que revelam a alternância de poder entre tribos, povos e nações.

Essa alternância de poder pode ter resultado em imposições da língua de um povo a outros povos ou, ainda, em influências de uma cultura sobre outra por um determinado período. A língua que usamos hoje para nos comunicar é fruto desse movimento, desse contato entre os homens e de como se deram as relações sociais ao longo da história.

Influências variadas
A língua inglesa nasceu no atual território da Grã-Bretanha, uma terra amplamente desejada e invadida por povos diversos, o que resultou na multiplicidade de suas origens e de influências variadas. É considerada língua germânico ocidental, mas esteve sob influência latina e escandinava e, depois, normanda e francesa.

Os romanos deixaram a Grã-Bretanha em 410 e os primeiros anglo-saxões desembarcaram no ano 449. Foram os saxões os responsáveis por introduzirem no inglês os primeiros elementos do vocabulário latino. Isso porque esses povos germânicos haviam entrado em contato com os Romanos antes de abandonarem o continente e já haviam incorporado vocábulos latinos às suas línguas.

Marcas do latim
É fácil identificar as marcas de origem latina na língua inglesa. Encontramos ainda no inglês atual: copper (cobre) do latim cuprum (cobre), street (rua) do latim strata (via), dish (prato) do latim discus (disco, travessa), entre outros. Mas apenas as cidades se constituíram em focos de latinização, permanecendo os povos residentes no campo pouco suscetíveis ao contato com a cultura romana.

Um dos capítulos das sucessivas invasões da Bretanha e das influências deixadas

Relacionados