Obrigações

Páginas: 20 (4858 palavras) Publicado: 28 de dezembro de 2013

1. INTRODUÇÃO 2
2. DEFINIÇÃO DE OBRIGAÇÕES 3
3. TIPOS DE OBRIGAÇÕES 4
3.1. Obrigações de Taxa Fixa 4
3.2. Obrigações de Taxa Variável 5
3.3. Obrigações com Warrants 5
3.4. Obrigações Convertíveis 5
3.5. Obrigações de Caixa 5
3.6. Obrigações de Cupão Zero 6
3.7. Obrigações Hipotecárias 6
3.8. Obrigações de Capitalização Automática 63.9. Obrigações Participantes 7
3.10. Obrigações Subordinadas 7
3.11. Obrigações com Opção de Reembolso Antecipado 7
3.12. Obrigações do Tesouro 8
3.13. Obrigações de Taxa Indexada 8
4. CARACTERÍSTICAS DAS OBRIGAÇÕES 8
4.1. Principais Características das Obrigações 8
4.2. Elementos das Obrigações 9
4.3. Condições deEmissão. 10
4.4. Intervenientes num Empréstimo Obrigacionista 10
4.5. O Preço das Obrigações 11
4.6. Formas de Reembolso 12
4.7. Direitos dos Obrigacionistas 13
4.8. Diferenças entre Obrigações e Acções? 14
15
4.9. Diferenças entre Obrigações e Crédito Bancário? 15
5. AVALIAÇÃO DAS OBRIGAÇÕES 15
15
5.1. Rendimento dasObrigações 15
5.2. Risco das Obrigações 16
5.3. Como Avaliar as Obrigações 16
16
6. CONCLUSÃO 17
17
7. GLOSSÁRIO 18
8. BIBLIOGRAFIA 19
ANEXOS 21



1. INTRODUÇÃO

O recurso à emissão de obrigações, verificou-se, principalmente, a partir de meados do século passado, tendo em vista o financiamento dos grandes empreendimentos de obras públicas impostos pelarevolução industrial, em particular o das companhias de caminhos-de-ferro.

Devido à conjuntura económica, o mercado obrigacionista reflecte ao longo dos anos oscilações. Todavia, nos últimos anos, os investidores têm-se mostrado pouco estimulados pelas aplicações financeiras no mercado obrigacionista, assistindo-se à perda de importância relativa desta categoria de valor mobiliário, nomeadamente nastransacções em bolsa. A tal facto não será alheio o desvio do interesse dos investidores para aplicações em valores mobiliários de rendimento variável, como sejam as acções, bem como o fenómeno de deslocação dos agentes, tendente à captação ou à realização de investimentos no estrangeiro. Daí a relevância da regulamentação vigente, que funciona como elemento de atracção ou de dissuasão na actuaçãode emitentes e de investidores, bem como a importância da inovação na emissão de obrigações, com vista a tornar este produto financeiro mais atractivo aos olhos do público investidor.
Existem diferentes tipos de obrigações, (neste trabalho são abordados apenas os mais importantes), assim como as suas características e a avaliação das mesmas.










2. DEFINIÇÃO DE OBRIGAÇÕES

Asobrigações são títulos de dívida que representam a fracção de um crédito concedido pelos seus titulares à entidade emitente. Os obrigacionistas não são proprietários, mas sim, credores da entidade emitente. Uma obrigação confere ao seu titular – O Obrigacionista – um direito de crédito remunerado sobre a entidade emitente. O empréstimo obrigacionista é, então, um contrato pelo qual a entidadeemitente se compromete a pagar aos obrigacionistas um certo valor periódico – O Juro – e a reembolsar o capital emprestado, nos termos estipulados na data da emissão. A amortização do capital pode ser realizada de uma só vez no último período de pagamento de juros, de forma escalonada, em datas predefinidas ou ainda ser antecipada.
Esta forma de empréstimo é utilizada normalmente por grandesempresas ou pelo próprio Estado, nomeadamente Governo, Regiões Autónomas, Municípios, Entidades Públicas, Bancos, Empresas ou Organizações supranacionais, visando dois objectivos básicos: a obtenção de grande volume de capitais e a dilatação do prazo de reembolso, por quanto representa financiamento a médio e longo prazo.
Entre os compradores de obrigações destacam-se os compradores particulares,...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Obrigações
  • obrigações
  • obrigações
  • obrigações
  • Das obrigações
  • obrigaçoes
  • Obrigações
  • obrigaçoes

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!