Neotomismo e o serviço social

Páginas: 40 (9888 palavras) Publicado: 5 de agosto de 2011
O sujeito dos direitos humanos

Marconi Pequeno*

A idéia de sujeito é um legado da filosofia moderna. Trata-se de uma das noções fundadoras do humanismo e de alguns dos principais valores do mundo ocidental. Embora encontremos referências às faculdades e disposições da subjetividade (razão, paixões, vontades, desejos) ao longo dos pensamentos antigo e medieval, é somente com RenéDescartes (1596-1650) que a noção de sujeito é constituída sob a égide de uma filosofia da consciência1. O sujeito cartesiano emerge para a filosofia como um composto de alma e corpo (dualismo psicofísico), cuja atividade fundamental, o pensamento, edifica as bases de todo conhecimento possível. Com Descartes surge, pois, a idéia de um sujeito cognoscente, cuja prerrogativa fundamental consiste nouso do intelecto que, enquanto faculdade da alma (res cogitans), se impõe como única via de acesso à verdade. De posse desse atributo superior, o homem torna-se capaz de compreender a constituição do seu corpo (res extensa) e apreender a realidade do mundo. O privilégio do pensamento tem como contraponto o menosprezo das paixões que animam a vida do indivíduo2. O sujeito nasce, portanto, cindidoem duas naturezas, divido em matéria e espírito, deflacionado em suas sensações, enaltecido em sua razão.
O sujeito cartesiano se apresenta, sobretudo, como um ser dotado de consciência e razão, instrumentos que lhe conferem a capacidade de conhecer o mundo e a si mesmo. Sua existência é deduzida do fato de ele pensar e constituir as bases de todo conhecimento possível (cogito, ergo sum).A subjetividade consciente realiza-se como atividade do entendimento e confere ao homem a capacidade de conhecer a si mesmo (sob a forma de reflexão) e as coisas que o circundam (mediante a apreensão do mundo exterior). A história do pensamento demonstra, porém, que, aos poucos, a noção de sujeito ampliará seus horizontes de revelação.
A consciência cognoscente, que definia o sujeito apenascom base em sua relação com o objeto (mundo), será enriquecida em suas funções a partir do momento em que a subjetividade torna-se também reconhecida como fluxo de vivências corporais e mentais. À natureza do sujeito, constituída até então por pensamentos e intuições, serão acrescidos percepções, sentimentos e emoções. O sujeito, em sua tessitura psicológica, passa a ser representado sob a formade eu3. O eu define o modo como percebemos, sentimos, intuímos, decidimos, escolhemos, imaginamos, ou seja, todas as faculdades capazes de constituir as bases da nossa dimensão existencial. Esta consciência que vive sua interioridade (identidade do eu) e interage com o mundo é também situada no espaço onde convivem outras consciências. O eu encontra aqui o seu correlato: o outro. Eis que asubjetividade transpõe o solipsismo que lhe confinava dentro dos limites do conhecimento e da pura identidade consigo mesma e acede ao seu novo palco de manifestação: o espaço da intersubjetividade. O ser-para-outro impõe à consciência uma nova modalidade de ser: aquele fundado no dever-ser, ou seja, na obrigação de reconhecer valores e seguir regras4.
A idéia de sujeito adquire, com efeito, umadimensão moral representada pela faculdade que lhe permite agir com liberdade, respeitar os direitos alheios e cumprir os deveres inerentes à vida em sociedade. A subjetividade passa a também se definir pelos padrões compartilhados de comportamento e pelas obrigações que contrai em sua existência com os outros5. Trata-se aqui do indivíduo capaz de viver em companhia dos demais, definir os rumos desua própria história e, finalmente, deliberar, decidir ou escolher com base em regras, valores e princípios morais.
Ora, sabemos que no campo da moral o sujeito nunca está só. Nesse universo, ele precisa adequar suas vontades e apetites às instâncias normativas vigentes no interior do seu grupo ou do meio social em que vive. Os padrões compartilhados de comportamento demonstram que o...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Neotomismo e o serviço social
  • Neotomismo e serviço social
  • A INFLUÊNCIA DO NEOTOMISMO NO SERVIÇO SOCIAL
  • Neotomismo no serviço social
  • neotomismo e o serviço social
  • A influência do neotomismo para o serviço social
  • Neotomismo e serviço social
  • Tomismo e neotomismo no serviço social brasileiro.

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!