Mendelismo: as leis da segregação e da segregação independente

Páginas: 30 (7375 palavras) Publicado: 5 de junho de 2011
MENDELISMO: AS LEIS DA SEGREGAÇÃO
E DA SEGREGAÇÃO INDEPENDENTE

Terceira aula
(T3)

Objetivos
1. Identificar as épocas da descoberta e redescoberta das leis fundamentais da hereditariedade, assim como os pesquisadores envolvidos. 2. Identificar as vantagens da ervilha para o estudo da hereditariedade. 3. Descrever os experimentos de Mendel. 4. Explicar como Mendel testou suas hipótesessobre hereditariedade. 5. Enunciar a primeira e a segunda leis de Mendel.

Texto adaptado de: MOORE, J. A. Science as a Way of Knowing Genetics. Amer. Zool. v. 26: p. 583-747, 1986.

AS ORIGENS DA GENÉTICA
O ano de 1900 marca o início da Genética Moderna. Foi quando um modesto, subestimado e esquecido trabalho de um monge Agostiniano, falecido em 1884, tornou-se conhecido pela comunidadecientífica em geral. A área de cruzamento animal e vegetal tinha passado por um período longo e não-excitante de “ciência normal” kuhniana, mas em 1900 estava para acontecer uma notável mudança de paradigma e a Genética estava a caminho de se tornar uma Ciência com ampla capacidade de explicar fatos e de fazer previsões. O novo paradigma surgiu com a descoberta de um trabalho longo e pouco conhecido,Versuche über Pflanzen-Hybriden, baseado em conferências que Gregor Mendel proferiu na Sociedade de História Natural de Brünn, na Áustria (hoje Brno, na atual República Tcheca) em 8 de fevereiro e 8 de março de 1865, publicado em 1866. A história é familiar aos professores de Biologia e uma fonte apropriada de documentos básicos é fornecida por Stern & Sherwood (1966). Dois cientistas, o holandês Hugode Vries (1900) e o alemão Carl Correns (1900) são considerados como os primeiros a compreender a importância do que Mendel tinha feito. Um terceiro cientista, o austríaco Erick von Tschermark, é usualmente 33

incluído como um dos redescobridores mas Stern e Sherwood (1966, p. X-XI) dão razões de porque ele não merece esse reconhecimento. De Vries havia cruzado numerosas “espécies” evariedades de plantas durante a última década do século XIX. Naquela época, o termo “espécie” era às vezes aplicado para plantas cultivadas que diferiam entre si por um ou poucos alelos capazes de produzir grandes alterações fenotípicas e que hoje são considerados como pertencentes à mesma espécie. De Vries adotou o ponto de vista de que estas diferentes “espécies” poderiam ser consideradas “comoconstituídas de fatores independentes” ou unidades e que, “As unidades determinantes dos caracteres específicos das espécies devem ser consideradas, nesse sentido, como entidades nitidamente separadas e deveriam ser estudadas como tal. Elas deveriam ser sempre tratadas como independentes umas das outras, uma vez que não há razão para ser de outro modo. Em todo experimento de cruzamento, apenas um caráter,ou um número definido deles, deve ser considerado.” De Vries se referiu a caracteres em estados antagônicos mas observou que somente um desses estados se expressava nos híbridos (isto é, em F1). Contudo quando os grãos-de-pólen e óvulos eram formados nos híbridos “os dois estados antagônicos das características se

separavam, seguindo na maioria das vezes as leis simples da probabilidade”. DeVries verificou que essas conclusões essenciais a que havia chegado tinham sido apresentadas 35 anos antes por Mendel, cujo trabalho tinha sido esquecido e seu significado não compreendido. A história de como De Vries tomou conhecimento do trabalho de Mendel é bem interessante. Ele não o descobriu por meio de pesquisa bibliográfica, mas por um desses acasos extraordinários que parecem ser de grandeimportância nas descobertas científicas. Um cientista holandês, Professor Beyerinck, sabia que De Vries estava trabalhando com hibridação de plantas e escreveu perguntando se ele não estaria interessado em uma antiga publicação sobre o assunto. Era o trabalho de Mendel. A carta e a publicação chegaram às mãos De Vries em 1900, justamente quando ele estava preparando seus próprios resultados...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Mendelismo: as leis da segregação e da segregação independente
  • Lei da segregação
  • 1ª LEI DE MENDEL : Lei da Segregação 2ª LEI DE MENDEL: Lei da segregação independente dos genes Interação Gênica
  • Segregação
  • Segregação
  • Segregação
  • segregação
  • Segregação

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!