Martins Galdi Lima Necyk Abe 2006 Evidencias Empiricas De Modelo 20532

Páginas: 35 (8721 palavras) Publicado: 12 de julho de 2015
Vol. 3, No. 2
Vitória-ES, Brasil – Jul/ Dez2006
pp. 137-156

Evidências Empíricas de Modelos de Estimação do Custo do Capital
Próprio
Eliseu Martins ♣
USP – Universidade de São Paulo
Fernando Caio Galdi ‫٭‬
USP – Universidade de São Paulo
Gerlando Augusto Sampaio Franco de Lima †
USP – Universidade de São Paulo
George Anthony Necyk ‡
USP – Universidade de São Paulo
Cesar Henrique Shogi Abe Ψ
USP– Universidade de São Paulo
RESUMO: Este artigo investiga se existem diferenças estatisticamente significantes
entre os valores estimados para o custo de capital próprio de empresas brasileiras
através de 4 modelos e suas variantes: Gordon, CAPM, APM e Ohlson-Juettner.
Para isso, foi utilizada uma amostra em cross-section de 34 empresas que fizeram
parte do Ibovespa em 29/12/2005. Os resultadosencontrados não permitem dizer
que a escolha do modelo é indiferente com relação ao resultado da estimação do
custo de capital próprio, com isso, a hipótese metodológica foi rejeitada. Com
relação aos modelos, os baseados em projeções de lucros e dividendos,
notadamente os modelos OJ e de Gordon, resultam em valores médios equivalentes
entre si e fora os que mais se igualaram em relação aos outros.Finalmente, é
importante comentar a superioridade teórica do modelo OJ, dado que este é
desenvolvido com um menor número de premissas e de maneira analítica, com
relação ao modelo de Gordon e ao modelo de Gordon & Gordon.
Palavras-Chave: avaliação de empresas, custo de capital próprio, teste de médias.
Recebido em 15/08/2006; revisado em 03/10/2006; aceito em 02/11/2006.
Correspondência comautores:
Eliseu Martins - Phd
E-mail: emartins@usp.br
‫ ٭‬Fernando Caio Galdi - Doctoral Candidate
E-mail: fecaio@uol.com.br

Gerlando Augusto Sampaio Franco de Lima
Doctoral Candidate
E-mail: gerlando@usp.br




George Anthony Necyk- Doctoral Candidate
E-mail: gnecyh@msbrasil.com.br
Ψ
César Herinque Shogi Abe- Doctoral Candidate
E-mail: cesarabe@yahoo.com

Nota do Editor: Este artigo foi aceito porAlexsandro Broedel Lopes.
137

138

Evidências Empíricas de Modelos de Estimação do Custo do Capital Próprio

1. INTRODUÇÃO

U

ma das etapas mais relevantes no processo de avaliação de empresas,
principalmente aquelas com ações negociadas em Bolsas de Valores, é a
mensuração do custo do capital próprio. Grande parte da importância da adequada
estimação desta variável é a relativa sensibilidade dosmodelos de avaliação de
empresas às alterações nas taxas de desconto1.
O conceito de custo do capital próprio, embora bastante difundido, possui características
subjetivas, pois ele é uma variável que não é diretamente observável. Em empresas com
vários acionistas e outros potenciais futuros acionistas, não é possível se conhecer com
exatidão qual o retorno requerido por estes para seusinvestimentos. Assim, foram
desenvolvidos alguns modelos no sentido de se apurar, dentro de premissas de racionalidade
econômica, qual é o custo de capital próprio de determinada empresa.
Dentro do contexto de comparações de metodologias para a mensuração do custo de
capital próprio, o presente trabalho busca investigar se existem diferenças estatisticamente
significantes entre o valor estimado para ocusto de capital próprio de empresas brasileiras
com a aplicação dos modelos: i) Gordon; ii) Capital Asset Pricing Model – CAPM; iii)
Arbitrage Pricing Model – APM; e iv) Ohlson-Juettner – OJ.
Inicialmente, a seção 2 discorre brevemente sobre os modelos a serem utilizados. A
seção 3 discute o desenho da pesquisa e a amostra utilizada. A seção 4 apresenta os resultados
obtidos. O item 5 conclui otrabalho.
2. MODELOS DE ESTIMAÇÃO

Os modelos utilizados neste estudo são bastante difundidos na literatura de finanças e
contabilidade2 e cada um deles apresenta, evidentemente, vantagens e desvantagens sobre os
demais.
A seguir são brevemente apresentadas cada uma das formulações dos modelos que são
utilizados no artigo.
2.1 Modelo de Gordon
O clássico modelo de Gordon (1962), também conhecido...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Leonardo Martins De Lima Barbosa Trabalho
  • NOVAS FORMAS ORGANIZACIONAIS: ONDE SE ENCONTRAM AS EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS DE RUPTURA COM O MODELO...
  • Novas formas organizacionais: onde se encontram as evidências empíricas de ruptura com o modelo burocrático de organizações?
  • Revisão Empírica acerca de Modelos de Variável Dependente
  • petição ao nova terceiro ano modelo martins
  • Bacic Petenate 2006 Modelo Para Melhoria De Proces 26291
  • A boa-fé como modelo
  • Galdi

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!