Locke e o individualismo liberal

2806 palavras 12 páginas
4
John Locke e o individualismo liberal Leonel Itaussu Almeida Mello

As revoluções inglesas "Em defesa da Liberdade, do Parlamento e da Religião Protestante", com este lema gravado em seu estandarte Guilherme de Orange desembarcou em solo britânico para depor o rei Jaime II e encerrar em 1688 um longo e tumultuado período da história inglesa. O século XVII foi marcado pelo antagonismo entre a Coroa e o Parlamento, controlados, respectivamente, pela dinastia Stuart, defensora do absolutismo, e a burguesia ascendente, partidária do liberalismo. Esse conflito assumiu também conotações religiosas e se mesclou com as lutas sectárias entre católicos, anglicanos, presbiterianos e puritanos. Finalmente, a crise político-religiosa foi agravada pela rivalidade econômica entre os beneficiários dos privilégios e monopólios mercantilistas concedidos pelo Estado e os setores que advogavam a liberdade de comércio e de produção. Em 1640, o confronto entre o rei Carlos I e o Parlamento envolveu o país numa sangrenta guerra civil que só terminou em 1649 com a vitória das forças parlamentares. A Revolução Puritana, como foram denominados esses eventos, culminou com a execução de Carlos I e a implantação da república na Inglaterra. Foi após os horrores da guerra civil, da consumação do regicídio e da instauração da férrea ditadura de Cromwell, que Thomas Hobbes, refugiado na França, publicou em 1651 o Leviatã. O livro era uma apologia do Estado todo-poderoso que, monopolizando a força concentrada da comunidade, torna-se fiador da vida, da paz e da segurança dos súditos. O Protetorado de Cromwell, apoiado no exército e na burguesia puritana, transformou a Inglaterra numa grande potência naval e comercial. Em 1660 a morte do Lorde Protetor envolveu o país numa crise política cuja solução, para evitar uma nova guerra civil, foi a restauração da monarquia e o

Relacionados

  • Locke-o individualismo liberal
    326 palavras | 2 páginas
  • John Locke e o individualismo liberal
    470 palavras | 2 páginas
  • John locke e o individualismo liberal
    416 palavras | 2 páginas
  • John Locke e o individualismo liberal
    1562 palavras | 7 páginas
  • John Locke e o Individualismo liberal
    789 palavras | 4 páginas
  • John locke e o individualismo liberal
    794 palavras | 4 páginas
  • John locke e o individualismo liberal
    1241 palavras | 5 páginas
  • John Locke e o individualismo liberal – Leonel Itaussu Almeida Mello
    2202 palavras | 9 páginas
  • Resumo do texto “leonel i. a. mello, ‘john locke e o individualismo liberal”.
    391 palavras | 2 páginas
  • Pipa
    2507 palavras | 11 páginas