Kant e Marx sobre o nada

Páginas: 58 (14412 palavras) Publicado: 15 de maio de 2014
Capítulos I - IV
O início da ocupação econômica do território brasileiro é em boa medida uma consequência da pressão política exercida sobre Portugal e Espanha pelas demais nações europeias [que consideravam que a posse dos territórios coloniais pressupunha sua ocupação efetiva, contrariando o Tratado de Tordesilhas].
Fora das regiões ligadas à grande empresa militar-mineira espanhola, ocontinente apresentava escasso interesse econômico, e defendê-lo de forma efetiva e permanente constituiria sorvedouro enorme de recursos. O comércio de peles e madeiras com os índios, que se desenvolve durante o século XVI em toda a costa oriental do continente, é de reduzido alcance e não exige mais que o estabelecimento de precárias feitorias.
Coube a Portugal a tarefa de encontrar uma forma deutilização econômica das terras americanas que não fosse a fácil extração de metais preciosos. Somente assim seria possível cobrir os gastos de defesa dessas terras.
Das medidas políticas que então foram tomadas resultou o início da exploração agrícola das terras brasileiras, acontecimento de enorme importância na história americana. De simples empresa espoliativa e extrativa – idêntica à que namesma época estava sendo empreendida na costa da África e nas índias Orientais – a América passa a constituir parte integrante da economia reprodutiva europeia, cuja técnica e capitais nela se aplicam para criar de forma permanente um fluxo de bens destinados ao mercado europeu.
A exploração econômica das terras americanas deveria parecer, no século XVI, uma empresa completamente inviável. Por essaépoca nenhum produto agrícola era objeto de comércio em grande escala na Europa [somente o trigo, que era facilmente acessível].
Os portugueses haviam já iniciado há algumas dezenas de anos a produção, em escala relativamente grande, nas ilhas do Atlântico, de uma das especiarias mais apreciadas no mercado europeu: o açúcar. Essa experiência resultou ser de enorme importância, pois, demais depermitir a solução dos problemas técnicos relacionados com a produção do açúcar, fomentou o desenvolvimento em Portugal da indústria de equipamentos para os engenhos açucareiros.
A significação maior da experiência das ilhas do Atlântico foi possivelmente no campo comercial. Tudo indica que o açúcar português inicialmente entrou nos canais tradicionais controlados pelos comerciantes das cidadesitalianas .
Ocorre, entretanto, que uma das consequências principais da entrada da produção portuguesa no mercado fora a ruptura do monopólio, que mantinham os venezianos, do acesso às fontes de produção. Desde cedo a produção portuguesa passa a ser encaminhada em proporção considerável para Flandres.
A partir da metade do século XVI a produção portuguesa de açúcar passa a ser mais e mais uma empresaem comum com os flamengos, inicialmente representados pelos interesses de Antuérpia e em seguida pelos de Amsterdã. Os flamengos recolhiam o produto em Lisboa, refinavam-no e faziam a distribuição por toda a Europa, particularmente o Báltico, a França e a Inglaterra.
[Os flamengos contribuíram fortemente para a expansão da comercialização do açúcar na Europa, pois financiavam em grande parte asrotas comerciais intra-europeias; assim, o açúcar foi absorvido a preços razoavelmente firmes e se mostrou particularmente rentável]
E não somente com sua experiência comercial contribuíram os holandeses. Parte substancial dos capitais requeridos pela empresa açucareira viera dos Países Baixos.
[a exportação de mão-de-obra portuguesa se faria inviável, visto que não havia incentivos para aexploração do novo mundo sem que houvesse salários enormes, e a concessão de terras era inviável, uma vez que, sem concentração de capital, a renda agrícola se tornava contraproducente]
[contudo,] nessa época os portugueses eram já senhores de um completo conhecimento do mercado africano de escravos; As operações de guerra para captura de negros pagãos, iniciadas quase um século antes nos tempos de...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Eixos centrais das visões de sócrates, karl marx e kant sobre a ética
  • Liberdade em Sartre Kant Marx
  • Nada sobre nada
  • Kant x Marx
  • nada sobre nada
  • nada sobre nada
  • Resumo Kant, Hegel e Marx
  • sobre o nada

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!