Interação gênica

Páginas: 11 (2613 palavras) Publicado: 22 de março de 2012
INTERAÇÃO GÊNICA

- INTRODUÇÃO
Há certos tipos de herança em que um determinado caráter é condicionado por dois ou mais pares de genes. Neste caso, vários pares de alelos com segregação independente, interagem, produzindo uma certa característica fenotípica, recebendo tal fenômeno a denominação de Interação Gênica.
O exemplo clássico mais citado de interação gênica é o trabalho realizadopor Bateson e Punnett, efetuando o cruzamento de galinhas de vários tipos de cristas. Na variedade Wyandotte, a crista é chamada rosa; na variedade Brahmas, a crista é chamada ervilha e, na variedade Leghorn, a crista é simples.
Cruzando-se galinhas de crista rosa com galos de crista simples, obtêm-se em F1 100% de crista rosa e, em F2, crista rosa e crista simples na proporção de 3 : 1.

PCrista Rosa X Crista Simples
RR rr
F1 Crista Rosa
Rr
F2 3 Crista Rosa : 1 Crista Simples
1 RR : 2 Rr : 1 rr

Pelo resultado obtido, tem-se a idéia de que o tipo de crista rosa e simples seja determinado por um par de genes R e r.
Cruzando-se galinhas de crista simples com galos de crista ervilha, obtêm-se em F1 100% de cristaervilha; em F2 obtêm-se crista ervilha e crista simples na proporção de 3:1.

P Crista Ervilha X Crista Simples
EE ee
F1 Crista Ervilha
Ee
F2 3 Crista Ervilha : 1 Crista Simples
1 EE : 2 Ee : 1 ee

Pelo resultado obtido, pode-se admitir que o tipo de crista poderia ser determinado por um par de genes alelo: E, e.
Cruzando-segalinhas de crista rosa com galos de crista ervilha, obtêm-se, em F1, um tipo de crista que não é nem ervilha, nem rosa, nem simples, mas um tipo novo chamado crista noz. Em F2, o cruzamento de indivíduos de crista noz com crista noz, produz:

9 noz : 3 ervilha : 3 rosa : 1 simples

Se o cruzamento efetuado ocorresse entre galos de crista rosa e galinhas de crista simples, os resultadosobtidos seriam idênticos.
A relação fenotípica observada 9: 3: 3: 1 é a mesma de dihibridismo, ou segregação de dois pares de genes possibilitando explicar que a forma de crista é na realidade, determinada por dois pares de genes Rr e Ee, que se segregam independentemente um do outro. A presença do alelo R determina o aparecimento da crista rosa; a presença do alelo E determina o aparecimento decrista ervilha, e a ocorrência dos dois alelos R e E, devido à sua interação determinam a crista noz.
Os possíveis genótipos e fenótipos podem ser assim representados:
|FENÓTIPOS |GENÓTIPOS |
|Crista Rosa |RRee ou Rree |
|CristaErvilha |rrEE ou rrEe |
|Crista Simples |rree |
|Crista Noz |RREE, RrEE, RrEe, RREe |


Assim sendo, é possível explicar o cruzamento entre aves decrista rosa e ervilha da seguinte forma: (veja esquema em sala de aula do cruzamento).

GP Rosa X Ervilha
RRee rrEE
F1 100% Crista Noz
RrEe
F2 NOZ X NOZ



- EPISTASIA

A epistasia ou criptomeria é um tipo de interação gênica no qual um gene de um certo locus inibe o efeito dos genes de outro locus, impedindo a sua manifestação. O geneinibidor recebe o nome de epistático e o gene inibido recebe o nome de hipostático.
A epistasia pode ser dominante ou recessiva.
Como exemplo de epistasia de um gene dominante, citamos o da coloração de plumagem das galinhas da raça Leghorn. Há duas variedades de galinhas brancas, a raça Leghorn e a raça Wyandotte.
Nas galinhas Leghorn brancas, há um gene S que inibe o gene P responsável pela...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • interaçao genica
  • Interação gênica
  • interaçao genica
  • Interação Gênica
  • A interação gênica
  • Interação genica
  • interação gênica
  • Interação gênica

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!