História do surdos no brasil

Páginas: 15 (3510 palavras) Publicado: 5 de maio de 2013
ISES – FACULDADE SUMARÉ

UNIDADE TATUAPÉ I – PEDAGOGIA 3° N2 A



HISTÓRIA DOS SURDOS NO BRASIL















|Elisangela S. Tabagnini |RA 1115617 |
|Lucilene Ap. Diniz |RA 1110717 |
|Margareth R. S. Bernardino |RA 1110721|
|Rosangela L. de Souza |RA 1110306 |
|Vanessa A. Miranda |RA 1114714 |







Projeto Profissional Interdisciplinar - Libras

Prof° Mestre Daniel de Santi




São Paulo
Abril de 2012

ISES – FACULDADE SUMARÉ
UNIDADE TATUAPÉ I – PEDAGOGIA 3° N2 AHISTÓRIA DOS SURDOS NO BRASIL














































São Paulo
Abril de 2012

Resumo

Este trabalho apresenta um resgate pela história dos Surdos no qual nos mostra seu surgimento, e o quanto foi difícil a sobrevivência das pessoas com deficiência, possui uma breve apresentação de acontecimentos históricos referentes áeducação dos surdos. Temos as primeiras metodologias dos surdos e quem foram os primeiros professores de surdos no qual foi realizada a fundação da escola do Brasil.















Palavras chaves: História dos Surdos, Educação dos Surdos no Brasil e no Mundo.

Sumário





















Introdução

Ao buscarmos dados sobre a História da Educaçãodos Surdos no Brasil tivemos que aprofundar nossas pesquisas e buscamos desde a antiguidade respostas que traduzam nossos dias atuais.
No contexto histórico, as pessoas com deficiência pareciam não ter importância enquanto ser humano já que sua exterminação ou abandono não demonstrava ser um problema. Relatos antigos mencionam deficientes servindo de bobos da corte para a nobreza.Passagens em documentos religiosos marcam a presença de pessoas com deficiência como na Bíblia, do cristianismo, no Talmud do judaísmo e no Alcorao do islamismo, às vezes referindo como pedintes, rejeitados, pois se pensava que Deus estava punindo os doentes, mas segundo recomendações de Mohamed que encoraja que se alimente e abrigue aqueles desprovidos da razão. Com o cristianismo a situação semodificou, pois todos sem exceção passaram a ser considerados filhos de Deus.
As pessoas surdas, principalmente as que não falavam, eram excluídas da sociedade, sendo proibidas de casar, possuir ou herdar bens e viver como as demais pessoas, algumas famílias optavam em colocá-los em instituições residências segregadas ou escolas especiais freqüentemente situadas em localidades distantes a qualo discurso era favorecer a recuperação das pessoas para a vida em sociedade, mas esse contexto institucional torna a pessoa incapaz de enfrentar e administrar a sua vida.
Não haviam escolas especializadas para surdos e pessoas ouvintes tentaram ensinar aos surdos.
Charles Michel de L’epee (1712-1789) criou o Instituto Nacional de Surdos-Mudos em Paris, a primeira escola de surdos coma filosofia manualista e oralista. Foi à primeira vez na historia que os surdos adquiriram o direito de uma língua própria.
O professor francês Hernest Huet (surdo e partidário de L’Epée) veio para o Brasil, a convite de D. Pedro II, para fundar a primeira escola para meninos surdos do nosso país: Imperial Instituto de Surdos Mudos, hoje, Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES)situado na cidade do Rio de Janeiro, mantido pelo governo federal começou a funcionar em 1º de janeiro de 1856, mesma data em que foi publicada a proposta de ensino apresentada por Huet. 
Em 1880 no Congresso Mundial de surdos em Milão, definiu-se uma nova corrente na educação de surdos: o oralismo. A linguagem de sinais foi proibida em todas as suas formas
Já no final dos anos 80, no...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • A história dos deficientes e surdos no brasil
  • A história da Educação de Surdos no Brasil
  • História da educação dos surdos no brasil
  • História dos surdos no Brasil
  • História da Educação dos surdos no Brasil
  • historia da educação para surdos no brasil
  • História da educação dos surdos no brasil
  • A historia do surdo no brasil

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!