gestalt

Páginas: 9 (2156 palavras) Publicado: 31 de outubro de 2013
Conhecimento

A filosofia de Descartes assenta numa concepção unitária do saber fundada na razão. A sabedoria é única, porque a razão é única, e só ela nos permite distinguir o verdadeiro do falso, o conveniente do inconveniente. Com o objectivo de criar um fundamento seguro para a filosofia, desenvolve um método de dúvida radical, que constitui a base da sua filosofia. Este método surge comoresposta ao ambiente de incerteza do seu próprio tempo. Com ele empreende um enorme trabalho de reconstrução de todo o saber que é deduzido a partir de certezas indubitáveis. Após ter posto em causa todo o saber adquirido pela experiência, chega à primeira certeza indubitável: a da sua existência como ser pensante ("Penso, logo existo"). É com base nesta evidência que irá desenvolver uma ciênciauniversal.

Descartes vai falar do argumento céptico da regressão infinita e teremos então maneira de saber se sabemos alguma coisa. O céptico defende que não. O problema pode parecer estranho; e, se o problema pode parecer estranho, a resposta céptica pode parecê-lo ainda mais. Muitas vezes temos boas razões para duvidar de que saibamos certas coisas. Há, todavia, outras coisas de que nos parecedifícil duvidar seriamente. Mas o céptico pensa ter um bom argumento. O seu argumento pode ser formulado do seguinte modo: se há conhecimento, então as nossas crenças estão justificadas; mas as nossas crenças não estão justificadas; logo, não há conhecimento.

Ora, este argumento se for sólido, teremos de aceitar a sua conclusão; se não queremos aceitar a sua conclusão, teremos de mostrar quenão é sólido. Então mas por que razão deverá preocupar-nos com a conclusão céptica? Porque não poderemos aceitá-la, ainda que com uma reserva sorridente — e passar tranquilamente adiante? Essa é uma possibilidade. O que há de insatisfatório com ela é que, se a aceitamos, dificilmente haverá um adiante a que passar. Muitos filósofos pensam que a conclusão céptica é inaceitável; e que temos, porconseguinte, boas razões para nos ocuparmos dela. Se isso é verdade, então temos de regressar ao argumento céptico e procurar determinar o que há de errado com ele. Será o argumento céptico um argumento sólido? Válido, é; se é válido, então será sólido na circunstância em que todas as suas premissas são verdadeiras. E serão?
A primeira premissa parece indisputável; isto porque não parece possívelhaver conhecimento sem justificação. Mas a segunda premissa não parece tão evidentemente verdadeira; e isto porque não é óbvio que as nossas crenças — ou, ao menos, algumas delas — não estejam justificadas. Se o céptico pretende que o seu argumento é sólido, então deverá defender a sua segunda premissa.

O argumento céptico da regressão infinita procura fazê-lo. Este argumento pode ser formulado doseguinte modo: todas as nossas crenças são justificadas com outras crenças; se todas as nossas crenças são justificadas com outras crenças, então há uma regressão infinita; se há uma regressão infinita, então as nossas crenças não estão justificadas; se as nossas crenças não estão justificadas, então não há conhecimento; logo, não há conhecimento.
Ora, este argumento é válido; logo, e mais umavez, se não queremos aceitar a sua conclusão, teremos de mostrar que pelo menos uma das suas premissas é falsa. Mas será? E, se for, qual? - Quanto ao argumento céptico da regressão infinita, Descartes procura responder-lhe mostrando que a sua primeira premissa é falsa; isto é, mostrando que não é verdade que todas as nossas crenças são justificadas com outras crenças. Mas esse não é o seu principalproblema; a Descartes não parece satisfatório mostrar que o céptico pode estar errado: ele pretende mostrar que o céptico está, efectivamente, errado. O seu principal problema pode ser formulado do seguinte modo: "como poderemos garantir que o nosso conhecimento é absolutamente seguro?"

Tal como os cépticos, Descartes parte da dúvida; mas, ao contrário dos cépticos, não permanece nela. A...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Gestalt
  • Gestalt
  • Gestalt
  • gestalt
  • Gestalt
  • gestalt
  • Gestalt
  • gestalt

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!