gestão

Páginas: 6 (1362 palavras) Publicado: 15 de novembro de 2014
UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL








GESTÃO TRIBUTÁRIA
FRAUDES CONTÁBEIS



JUANITO COSTA, CÉLIO ANTUNES

PROFESSOR ORIENTADOR: PEDRO EDMUNDO BOLL


CANOAS, 19 DE AGOSTO DE 2014

SUMÁRIO


1 INTRODUÇÃO 3
2 DESENVOLVIMENTO 4
2.1 FRAUDE CONCEITO E ATOSRELATIVOS 4
2.2 DIFERENÇAS ENTRE FRAUDE E ERRO CONTÁBIL 4
2.3 FRAUDE E ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL 5
3 CONCLUSÃO 6
4 REFERÊNCIAS 7
















1. INTRODUÇÃO
O presente trabalho tem como objetivo pesquisar e conceituar o assunto tema Fraudes Contábeis. No mundo corporativo recente pudemos observar grandes empresas que por meio de artifícios contábeis e a manipulação de suasdemonstrações financeiras tentaram passar aos usuários da informação contábil uma imagem diferente da real situação vivida nestas empresas, normalmente estas ações buscam esconder desvios de ativos financeiros ou valorizar as ações das mesmas no mercado de ações. Mas normalmente a maior parte das fraudes contábeis são de valor pequeno e realizadas por empresas pequenas ou cidadãos que o fazem como intuito de sonegar impostos.


2. DESENVOLVIMENTO

2.1 FRAUDE: CONCEITO E ATOS RELATIVOS
Fraude é um termo tem origem no latim “fraus” e indica ação praticada de má-fé, abuso de confiança, contrabando, clandestinidade ou falsificação e adulteração que nos estudos de contabilidade e auditoria refere-se a ato intencional de omissão ou manipulação de transações, adulteração de documentos,registros e demonstrações contábeis.
Segundo orientação do Conselho Federal de Contabilidade[1] a fraude pode ser caracterizada por:
a) manipulação, falsificação ou alteração de registros ou documentos, de modo a modificar os registros de ativos, passivos e resultados;
b) apropriação indébita de ativos;
c) supressão ou omissão de transações nos registros contábeis;
d)registro de transações sem comprovação; e
e) adoção de práticas contábeis inadequadas.

2.2 DIFERENÇAS ENTRE FRAUDE E ERRO CONTÁBIL
O termo erro segundo o Conselho Federal de Contabilidade refere-se a atos involuntários de omissão, desatenção, desconhecimento ou não interpretação dos fatos quando da elaboração de registros e demonstrações contábeis, bem como de transações e operações daentidade, tanto em termos físicos quanto monetários. Em consequência o termo “erro” refere-se a ato não intencional na elaboração de registros e demonstrações contábeis que resultem nas incorreções seguintes:
a) erros aritméticos na escrituração contábil ou nas demonstrações contábeis;
b) aplicação incorreta das normas contábeis;
c) interpretação errada das variações patrimoniais.
Oserros intencionais serão sempre a consequência de um plano deliberado de uma ou mais pessoas que tem o objetivo de gerar prejuízos ou perdas para uma entidade ou para uma pessoa. Já os erros involuntários decorrem de simples equívocos e normalmente dizem respeito a falta de cuidado ou desconhecimento das técnicas contábeis.
A fraude, por outro lado, corresponde a um ato intencional ou omissãodestinado a enganar pessoas físicas ou jurídicas, que resulta em perdas para a vítima e/ou ganhos para o fraudador.
Em face do exposto, pode-se afirmar que a fraude decorre da intenção do agente e pode ser caracterizada pelos seguintes elementos constitutivos:
a) Elementos objetivos
i. Obtenção de vantagem ilícita (para si ou para outrem)
ii. Emprego de ardilou artifício
iii. Causar prejuízo (a terceiro)
b) Elemento subjetivo
i. Dolo com intenção de enganar;
ii. Dolo com a intenção de causar prejuízo.
A diferença básica que caracteriza a classificação de fraude e erro é a voluntariedade. Cabe ao interprete avaliar se o ato praticado representa um simples erro ou se constitui uma fraude,...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • gestao
  • Gestao
  • Gestão
  • Gestao
  • Gestao
  • Gestão
  • Gestao
  • Gestão

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!