Fingimento poético

Páginas: 3 (666 palavras) Publicado: 7 de abril de 2013
Documento complementar à aula de leitura analítica do poema “Autopsicografia” de Fernando Pessoa.


Autopsicografia




O poeta é um fingidorFinge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente


E os que lêem o que escreve,Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm


E assim nas calhas de rodaGira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.



Esta composição poética é uma esplêndida síntese do que Fernando Pessoapensava sobre a génese e a natureza da poesia. Podemos, pois, considerá-lo como uma verdadeira "arte poética".

O assunto do poema desenvolve-se em três partes lógicas, que correspondem a cada umadas estrofes. Porém, comecemos por nos debruçar sobre o título que também faz parte do texto




O que quererá significar o título? Vai o poeta falar de si e do seu mundo psicológicocomplexo?

Vejamos:

Aspectos morfológicos na composição do título: Autopsicografia

Constituintes morfológicos: auto, significa de si mesmo

psico, mente, espírito, almagrafia, escrita




Perante o título, seria legítimo encontrar um auto-retrato da mente do poeta sob a forma de expressão escrita, ou um auto-retrato espiritual. Se assim é, como se explica quenão ocorra qualquer verbo na primeira pessoa do singular, nem o pronome pessoal equivalente? Não era de um auto-retrato que se tratava?

Fernando pessoa quis expor uma teoria da criaçãopoética de valor universal, por via da introspecção e recorrendo ao exemplo da dor.







O primeiro verso encerra a ideia fundamental do poema, “O poeta é um fingidor”. A brevidade da...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • fingimento poetico PT
  • Livros Poéticos
  • Sarau poético
  • Livros Poéticos
  • ensaio poético
  • Genero poetico
  • Livros poeticos
  • Texto Poetico

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!