Filosofia e ética profissional

Páginas: 5 (1237 palavras) Publicado: 20 de maio de 2013
Tema : Estabelecer a diferença entre as teorias do conhecimento racionalista e empirista, e diga quem apresentou outra teoria que realmente demonstra como se efetiva o conhecimento.

O racionalismo e o empirismo, são duas correntes filosóficas, duas formas de pensamento moderno, iniciado no século XVII. A teoria racionalista, é uma concepção filosófica que afirma a razão como únicafaculdade de propiciar o conhecimento adequado da realidade. A razão, é a capacidade de aprender ou de ver as coisas em suas articulações ou interdependência em que se encontram umas com as outras. O racionalismo inicia o pensamento moderno através de Descartes, com uma desconfiança, uma dúvida, partindo dos chamados pré-conceitos e das pré-noções existentes, só que é inquestionável dentro de uma baseracional ( análise racional) é verdadeiro, isto consiste no pensamento de que por meio da razão, e somente por ela se descobre a verdade exata, eterna e imutável. Sendo assim, o homem só pode atingir a perfeita felicidade fazendo triunfar o poder da razão sobre os extintos e as paixões. O racionalismo gnosiológico ou epistemológico é inseparável do racionalismo ontológico ou metafísico, queenfoca a questão do ser, pois o ser está implicado no pensamento do ser. Declarar que o real tem esta ou aquela estrutura implica em admitir, por parte da razão, enquanto faculdade cognitiva do ser humano, a capacidade de apreender o real e de revelar a sua estrutura. O conhecimento, ao se distinguir da produção e da criação de objetos, implica a possibilidade de reproduzir o real no pensamento, semalterá-lo ou modificá-lo. Dois elementos marcariam o desenvolvimento da filosofia racionalista clássica no século XVII. De um lado, a confiança na capacidade do pensamento matemático, símbolo da autonomia da razão, para interpretar adequadamente o mundo; de outro, a necessidade de conferir ao conhecimento racional uma fundamentação metafísica que garantisse sua certeza. Ambas as questões conformarama idéia basilar do Discurso sobre o método (1637) de Descartes, texto central do racionalismo tanto metafísico quanto epistemológico. Para Descartes, a realidade física coincide com o pensamento e pode ser traduzida por fórmulas e equações matemáticas. Descartes estava convicto também de que todo conhecimento procede de idéias inatas - postas na mente por Deus - que correspondem aos fundamentosracionais da realidade. Desconsiderando a experiência sensível. E essa idéia de inatismo, é uma das contradições entre o empirismo e o racionalismo. A razão cartesiana, por julgar-se capaz de apreender a totalidade do real mediante "longas cadeias de razões", é a razão lógico-matemática e não a razão vital e, muito menos, a razão histórica e dialética. O racionalismo clássico ou metafísico, noentanto, cujos paradigmas seriam o citado Descartes, Spinoza e Leibniz, não se limitava a assinalar a primazia da razão como instrumento do saber, mas entendia a totalidade do real como estrutura racional criada por Deus, o qual era concebido como "grande geômetra do mundo". Spinoza é o mais radical dos cartesianos. Ao negar a diferença entre res cogitans - substância pensante - e res extensa -objetos corpóreos - e afirmar a existência de uma única substância estabeleceu um sistema metafísico aproximado do panteísmo. Reduziu as duas substâncias, res cogitans e res extensa, a uma só - da qual o pensamento e a extensão seriam atributos. Principais racionalistas modernos: Descartes, Leibniz, Pascal e Spinoza.

Sob uma perspectiva contrária aos racionalistas, os empiristas britânicos refutarama existência das idéias inatas e postularam que a mente é uma tabula rasa ou página em branco, cujo material provém da experiência. A oposição tradicional entre racionalismo e empirismo, no entanto, está longe de ser absoluta, pois filósofos empiristas como John Locke e, com maior dose de ceticismo, David Hume, embora insistissem em que todo conhecimento deve provir de uma "sensação", não...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Filosofia geral e etica profissional
  • fILOSOFIA E ETICA PROFISSIONAL
  • Ética Profissional e Filosofia
  • Filosofia e ética profissional
  • Filosofia e ética profissional
  • Filosofia e etica profissional
  • FILOSOFIA TENDENCIAS DA ETICA PROFISSIONAL HOJE
  • Ética profissional

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!